Custo da cesta básica em São Luís é o segundo menor do país, segundo levantamento do DIEESE

0
425

AQUILES EMIR

O custo do conjunto dos alimentos da Cesta Básica emde São Luís foi de R$ 336,67 em julho, com uma redução de -6,14% em relação ao mês junho e com isto ficou com o segundo menor valor entre as 20 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Em 12 meses, a variação anual foi de -8,41% e, nos primeiros sete meses de 2018, de 0,76%.

Entre junho e julho de 2018, o valor médio de oito produtos teve redução: tomate (-28,75%), banana (-9,89%), farinha de mandioca (-8,74%), carne bovina de primeira (-3,69%), açúcar refinado (-1,63%), manteiga (-1,23%), pão francês (-1,21%) e óleo de soja (-0,55%). O valor do café em pó não se alterou e houve aumento no preço médio do leite integral (19,84%), do arroz agulhinha (2,04%) e do feijão carioquinha (1,16%).

Em 12 meses, dois produtos tiveram alta acumulada: leite integral, (29,66%) e carne bovina de primeira (3,47%). Os outros dez itens apresentaram redução: feijão carioquinha (-44,68%), tomate (-28,75%), açúcar refinado (-19,40%), farinha de mandioca (-11,22%), manteiga (-10,02%), café em pó (-8,75%), arroz agulhinha (-6,41%), pão francês (-4,10%), óleo de soja (-1,91%) e banana (-1,89%).

O custo da CB diminuiu em 19 capitais. As reduções mais expressivas foram registradas em Cuiabá (-8,67%), São Luís (-6,14%), Brasília (-5,49%), Belém (-5,38%), Rio de Janeiro (-5,32%) e Curitiba (-5,12%). A alta foi verificada em Goiânia (0,16%). A cesta mais cara foi a de São Paulo (R$ 437,42), seguida pela de Porto Alegre  (R$ 435,02) e Rio de Janeiro (R$ 421,89). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 321,62), São Luís (R$ 336,67) e Natal (R$ 341,09). Em 12 meses, entre julho de 2017 e 2018, os preços médios da cesta caíram em todas as cidades, com destaque para as taxas de Salvador (-9,98%), São Luís (-8,41%) e Belém (-7,09%).

Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos Custo e variação da cesta básica em vinte capitais:

Capital Valor da cesta Variação mensal (%) Porcentagem do Salário Mínimo Líquido Tempo de trabalho Variação no ano (%)  

Variação em 12 meses (%)

São Paulo 437,42 -3,15 49,84 100h52m 3,08 -1,89
Porto Alegre 435,02 -3,93 49,56 100h19m 1,94 -4,09
Rio de Janeiro 421,89 -5,32 48,07 97h17m 0,76 -0,88
Florianópolis 415,27 -2,36 47,31 95h46m -0,80 -5,59
Vitória 406,43 -1,76 46,31 93h44m 5,51 -0,75
Curitiba 391,32 -5,12 44,59 90h14m 4,37 -1,92
Brasília 390,34 -5,49 44,47 90h01m 2,78 -3,71
Cuiabá 388,43 -8,67 44,26 89h35m 3,11 -1,67
Fortaleza 379,26 -3,34 43,21 87h28m 3,21 -5,34
Campo Grande 370,59 -2,52 42,22 85h28m 1,18 -3,03
Goiânia 366,38 0,16 41,74 84h29m 1,57 -5,25
Belo Horizonte 363,28 -2,85 41,39 83h47m 0,46 -5,32
Belém 361,11 -5,38 41,14 83h16m 1,24 -7,09
Manaus 355,17 -3,46 40,47 81h55m 2,22 -1,73
Recife 347,43 -2,39 39,59 80h07m 4,60 -3,93
João Pessoa 347,15 -0,76 39,55 80h04m 5,35 -3,95
Aracaju 344,89 -1,33 39,30 79h32m 1,43 -5,32
Natal 341,09 -2,85 38,86 78h40m 2,99 -4,76
São Luís 336,67 -6,14 38,36 77h38m 0,76 -8,41
Salvador 321,62 -3,42 36,64 74h10m 1,57 -9,98

Fonte: DIEESE

Salário – Com base na cesta mais cara, que foi a de São Paulo, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.674,77, ou 3,85 vezes o salário mínimo nacional, de R$ 954,00.

Em junho, tinha sido estimado em R$ 3.804,06, ou 3,99 vezes o piso mínimo do país. Em julho de 2017, o mínimo necessário era equivalente a R$ 3.810,36, ou 4,07 vezes o salário mínimo nacional daquele ano, correspondente a R$ 937,00.

Em São Luís, o trabalhador com remuneração equivalente ao salário mínimo precisou cumprir jornada de trabalho, em julho, de 77 horas e 38 minutos, menor do que a de junho, de 82 horas e 43 minutos. Em julho de 2017, a jornada era de 86 horas e 19 minutos. Em julho de 2018, o custo da cesta em São Luís comprometeu 38,36% do salário mínimo líquido (após os descontos previdenciários). Em junho, o percentual exigido era de 40,87% e, em julho de 2017, de 42,64%.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação