Maranhão tem o segundo maior custo da construção civil no Nordeste

0
644

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) subiu 0,48% em novembro, ficando 0,32 ponto percentual acima dos 0,16% de outubro. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (08) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e indicam que com a alta de novembro os custos da construção fecharam o mês com um resultado acumulado no ano de 3,64%, em relação ao mesmo período de 2016.

Segundo o IBGE, essa foi a segunda maior taxa do ano, atrás apenas dos 0,58% de julho. Já o acumulado nos últimos 12 meses ficou em 4,15%, acima dos 3,75% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em novembro do ano passado o índice foi 0,1%.

Com a alta de novembro, o custo nacional do metro quadrado na construção passou de R$ 1.059,68, para R$ 1.064,76, sendo R$ 544,19 relativos aos materiais e R$ 520,57 à mão de obra.

A parcela dos materiais de construção apresentou a maior variação observada no ano (0,67%), subindo 0,47 ponto percentual em relação à taxa do mês de outubro (0,2%). Em relação à taxa negativa registrada em novembro do ano passado (0,06%), a alta foi ainda mais significativa, de  0,73 ponto percentual. Neste caso, a variação da parcela da mão de obra foi de 0,28%, superior à do mês anterior (0,12%). Já em relação a novembro de 2016, o índice se manteve estável (0,27%).

Centro-Oeste – Em novembro, pelo segundo mês consecutivo, a Região Centro-Oeste apresentou a maior variação regional, devido novamente à alta na parcela dos materiais nos três estados, além da variação captada na mão de obra em Mato Grosso, consequência de reajuste salarial de 0,94% decorrente do acordo coletivo da categoria.

No mês, todas as regiões apresentaram índices positivos: 0,34% (Norte), 0,51% (Nordeste), 0,47% (Sudeste) e 0,2% (Sul). Os custos regionais, por metro quadrado, foram de R$ 1.066,13 (Norte); R$ 988,82 (Nordeste); R$ 1.110,09 (Sudeste); R$ 1.103,97 (Sul) e R$ 1.081,84 (Centro-Oeste).

Veja o custo da Construção Civil em todos os estados:
Considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor da construção civil

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL             1.064,76 533,00 0,48 3,64 4,15
REGIÃO NORTE       1.066,13 531,22 0,34 2,62 2,84
Rondônia 1.108,42 617,98 0,52 4,01 3,37
Acre 1.171,82 621,99 0,15 3,95 4,06
Amazonas 1.032,67 505,60 0,23 4,89 4,70
Roraima 1.112,09 461,86 0,19 2,37 2,38
Para 1.048,23 502,44 0,47 0,61 0,84
Amapá 1.053,41 511,70 0,13 3,67 3,44
Tocantins 1.124,83 591,46 0,24 4,06 6,80
NORDESTE   988,82 534,12 0,51 4,23 4,55
Maranhão           1.015,31 534,84 0,19 4,64 4,59
Piauí 1.013,77 673,69 0,42 2,59 5,77
Ceará 990,83 572,26 0,46 3,84 4,27
Rio Grande do Norte 941,56 474,59 0,17 3,57 6,74
Paraíba 1.034,83 572,20 -0,03 4,04 4,11
Pernambuco 971,01 519,16 1,31 3,82 4,24
Alagoas 987,52 493,45 0,57 4,62 4,82
Sergipe 931,68 495,19 0,65 3,05 3,06
Bahia 984,43 521,06 0,44 5,05 4,52
SUDESTE     1.110,09 531,33 0,47 3,40 3,58
Minas Gerais 1.000,83 550,80 0,08 4,37 4,56
Espírito Santo 968,82 537,35 0,31 2,46 3,69
Rio de Janeiro 1.190,83 542,72 0,21 3,73 4,08
São Paulo 1.154,80 521,67 0,79 2,83 2,87
SUL         1.103,97 527,95 0,20 3,39 5,55
Paraná 1.077,96 515,55 0,13 1,99 6,56
Santa Catarina 1.198,79 649,40 0,19 5,78 6,05
Rio Grande do Sul 1.056,26 479,50 0,32 3,28 3,35
CENTRO-OESTE 1.081,84 552,35 0,94 4,25 4,73
Mato Grosso do Sul 1.063,16 499,88 0,66 4,53 4,96
Mato Grosso 1.079,28 615,78 1,71 3,23 2,79
Goiás 1.067,30 563,78 0,47 4,94 5,00
Distrito Federal 1.118,40 493,85 0,77 4,40 6,72

 

Não considerando a desoneração da folha de pagamento 

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL             1.144,79 572,76 0,46 3,71 4,26
NORTE       1.140,92 568,47 0,31 2,81 3,03
Rondônia 1.184,75 660,51 0,49 4,02 3,42
Acre 1.253,29 665,10 0,14 4,02 4,11
Amazonas 1.104,33 540,90 0,21 5,12 4,94
Roraima 1.197,52 497,34 0,18 2,50 2,47
Pará 1.122,23 537,71 0,44 0,74 0,95
Amapá 1.125,28 546,43 0,10 3,94 3,72
Tocantins 1.203,15 632,50 0,22 4,28 7,25
NORDESTE   1.058,91 571,90 0,50 4,28 4,64
Maranhão           1.085,77 572,19 0,18 4,77 4,74
Piauí 1.081,53 718,61 0,38 2,42 5,93
Ceará 1.058,16 610,86 0,43 3,76 4,15
Rio Grande do Norte 1.005,65 506,80 0,17 3,39 6,87
Paraíba 1.106,67 612,10 -0,03 4,21 4,27
Pernambuco 1.041,04 556,35 1,35 3,95 4,34
Alagoas 1.055,44 527,38 0,53 4,63 4,81
Sergipe 997,41 530,18 0,61 3,18 3,19
Bahia 1.058,03 559,65 0,41 5,15 4,65
SUDESTE     1.198,15 573,32 0,44 3,48 3,67
Minas Gerais 1.074,55 591,25 0,07 4,56 4,74
Espirito Santo 1.042,37 578,27 0,27 2,55 3,83
Rio de Janeiro 1.288,73 587,58 0,20 3,77 4,10
São Paulo 1.248,70 564,04 0,74 2,88 2,95
SUL         1.191,33 569,60 0,18 3,46 5,83
Parana 1.166,61 557,82 0,12 2,10 7,05
Santa Catarina 1.296,90 702,32 0,16 5,87 6,29
Rio Grande do Sul 1.131,10 513,58 0,31 3,38 3,44
CENTRO-OESTE 1157,68 590,96 0,96 4,31 4,83
Mato Grosso do Sul 1.135,98 533,77 0,62 4,61 5,01
Mato Grosso 1.156,95 660,03 1,86 3,27 2,86
Goias 1.141,82 602,74 0,44 5,06 5,13
Distrito Federal 1.195,72 528,22 0,72 4,43 6,92

NOTA: estes resultados são calculados mensalmente pelo IBGE através de convênio com a CAIXA – Caixa Econômica Federal.

 

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação