Custo da Construção Civil no Maranhão chega a R$1.021 o metro quadrado

0
1587
Setor de Construção Civil foi o que mais admitiu no Maranhão no mês de setembro, segundo dados do Caged

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentou variação de 0,30% em fevereiro, ficando 0,03 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de janeiro. O acumulado nos últimos 12 meses ficou em 3,82%, resultado acima dos 3,71% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em fevereiro de 2017, o índice foi 0,19%.

No Maranhão, de acordo com o levantamento, o custo médio do metro quadrado, levando-se em conta a desoneração da folha de pagamento, ficou R$ 1.021,67, enquanto não levando em conta a desoneração, R$ 1.092,13.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em janeiro estava em R$ 1.069,61, passou em fevereiro para R$ 1.072,87, sendo R$ 550,66 relativos aos materiais e R$ 522,21 à mão de obra. A parcela dos materiais apresentou variação de 0,54%, subindo 0,04 ponto percentual em relação a janeiro e 0,17 frente a fevereiro de 2017.

O valor da mão de obra, por sua vez, apresentou variação de 0,06%, apresentando estabilidade tanto em relação ao mês anterior (0,04%) quanto a fevereiro de 2017 (0,00%). Os acumulados no ano foram de 1,04% no custo de materiais e de 0,10% no de mão de obra. Já nos acumulados em doze meses, os resultados ficaram em 3,15% (materiais) e 4,61% (mão de obra).

Nordeste  – Com alta na parcela dos materiais em 8 estados, e com a variação captada na mão de obra no Piauí, consequência de reajuste salarial de acordo coletivo, a região Nordeste apresentou a maior variação regional em fevereiro, 0,44%.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,17% (Norte), 0,22% (Sudeste), 0,35% (Sul) e 0,31% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.068,69 (Norte); R$ 999,04 (Nordeste); R$ 1.119,40 (Sudeste); R$ 1.110,72 (Sul) e R$ 1.085,08 (Centro-Oeste).

O Piauí registrou maior alta entre os estados, decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, Piauí, com 1,63%, foi o estado que apresentou a maior variação mensal.

Confira o custo da construção civil não considerando a desoneração da folha de pagamento:

ÁREAS

GEOGRÁFICA

CUSTO
MÉDIO
ÍNDICES VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2  JUN/94=100  MENSAL  NO ANO  12 MESES   
BRASIL               1153,22 576,95 0,29 0,55 3,88
REGIÃO NORTE        1143,46 569,78 0,16 0,27 1,77
Rondonia 1188,67 662,69 0,12 0,12 4,09
Acre 1255,34 666,23 -0,13 -0,11 4,34
Amazonas 1105,38 541,44 0,00 0,23 1,11
Roraima 1200,03 498,38 0,16 0,26 2,43
Para 1125,14 539,10 0,32 0,32 1,04
Amapa 1135,90 551,58 0,13 0,90 1,16
Tocantins 1199,79 630,79 0,06 -0,01 3,11
NORDESTE     1069,76 577,75 0,44 0,70 4,50
Maranhão            1092,13 575,52 0,38 0,50 4,83
Piaui 1104,27 733,75 1,69 2,11 4,15
Ceara 1071,52 618,58 0,96 1,01 4,55
Rio Grande do Norte 1054,73 531,52 0,02 2,21 7,67
Paraiba 1111,04 614,55 0,08 0,14 4,40
Pernambuco 1051,35 561,87 0,45 0,44 2,48
Alagoas 1062,91 531,13 0,39 0,70 5,53
Sergipe 998,79 530,87 -0,15 -0,17 2,75
Bahia 1063,49 562,51 0,17 0,46 5,06
SUDESTE      1207,85 577,98 0,21 0,63 3,88
Minas Gerais 1075,59 591,84 0,09 0,18 4,52
Espirito Santo 1052,85 584,07 0,40 0,76 3,19
Rio de Janeiro 1294,07 590,05 -0,02 0,22 4,31
São Paulo 1265,24 571,51 0,34 1,01 3,43
SUL          1197,84 572,68 0,31 0,44 3,68
Parana 1171,54 560,17 0,11 0,39 2,32
Santa Catarina 1305,63 707,10 0,53 0,47 5,80
Rio Grande do Sul 1138,10 516,77 0,40 0,50 3,92
CENTRO-OESTE 1161,06 592,67 0,29 0,18 4,44
Mato Grosso do Sul 1132,44 532,06 0,12 -0,04 4,04
Mato Grosso 1149,86 656,01 -0,18 -0,60 2,62
Goias 1150,99 607,57 0,62 0,62 5,42
Distrito Federal 1209,77 534,42 0,58 0,76 5,77

 

 

 

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação