Deputados constatam irregularidades em colégio “reformado” pelo Escola Digna

0
825

Membros da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa vistoriaram, nesta segunda-feira (16), o Centro de Ensino Joaquim Gomes de Souza, no bairro da Cohab-Anil, em São Luís, atendendo a uma manifestação de alunos sobre uma série de problemas, desde goteiras nas salas de aula até falta de merenda escolar.

A instituição de ensino funciona em dois turnos (matutino e vespertino) e foi construída em 1982. Conta com 747 alunos e 63 professores. A mais recente reforma do prédio aconteceu em 1997.

A comitiva visitou todas as instalações, na companhia da diretora, Lucineide da Silva Martins, e do vice-diretor, Celso Marques. “Nossa maior reclamação é quanto às goteiras em algumas salas de aula e ao calor excessivo. Tem ventilador, mas o barulho atrapalha as aulas. Para nós, a prioridade seria a reforma no telhado e a climatização das salas de aula”, disse o aluno Janilson Rodrigues Costa.

Marilene Mendes Costa, aluna do ensino médio, reclamou do calor, que considera insuportável, das condições das carteiras e da falta de merenda. “Nosso principal problema é o calor insuportável e a merenda, que às vezes falta. E também a questão das goteiras nas salas e de algumas carteiras, que estão inutilizadas”, ressaltou.

Posição da Seduc – Segundo a Secretaria de Estado da Educação, o Centro de Ensino Joaquim Gomes de Souza não foi reformado por meio do programa Escola Digna, mas foi contemplado com duas intervenções de manutenção, sendo uma no valor de R$ de 12 mil, em 2016, e outra no valor de R$ 24 mil, em 2017.

“Após diálogo com a comunidade escolar, foram definidos alguns serviços emergenciais que já se encontram em execução como, por exemplo, substituição de ventiladores, revisão da cobertura, limpeza geral e montagem da subestação de energia”, esclareceu Felipe Camarão.

Para o presidente da Comissão de Educação, Roberto Costa, o que se constatou  foram problemas que fazem parte da rotina de qualquer escola como, por exemplo, goteiras, que se intensificam no período chuvoso, e a deterioração das instalações.  “Constatamos que a escola está funcionando com as condições mínimas necessárias, que apresenta problemas em suas instalações, pelo fato de ser uma escola antiga, e outros que fazem parte da rotina de qualquer escola. Mas nada que comprometa seu funcionamento. Esperamos que o secretário de Educação priorize as intervenções que essa escola  exige, sendo a mais urgente, na opinião dos alunos, a climatização das salas e a revisão do telhado”, complementou Roberto Costa.

Para o deputado Wellington do Curso, ficou evidente que, após a denúncia, alguns serviços foram providenciados. “O bom é que houve uma melhoria na escola, após a denúncia que fizemos. Vamos continuar cobrando e fiscalizando. Essa escola consta do relatório da Seduc como tendo sofrido duas intervenções do programa Escola Digna. E essas duas intervenções, para nós, foram a pintura do muro e colocação da logomarca do governo”.

Segundo o secretário Felipe Camarão, a escola está em boas condições e necessita de pequenos reparos, os quais serão, imediatamente, executados pela Secretaria de Educação. “O que me deixou mais satisfeito é que tive a oportunidade de explicar aos deputados o que é o programa Escola Digna, como ele funciona e sua magnitude. Reafirmo a disposição do governador Flávio Dino (PCdoB) em recuperar e reformar todas as escolas da rede estadual”, afirmou.

O deputado Rogério Cafeteira disse que constatou o funcionamento normal da escola e que os fatos denunciados não foram observados. “Para o tempo que essa escola tem, ela está em boas condições. A principal reclamação dos alunos é quanto às goteiras e o excessivo calor em sala de aula. O secretário de Educação afirmou que as providências já estão sendo tomadas, principalmente no que diz respeito à instalação de uma subestação de energia, que vai possibilitar a climatização das salas de aula”, salientou.

Ao término da vistoria, o deputado Roberto Costa convidou o secretário Felipe Camarão para participar da próxima reunião da Comissão de Educação e apresentar o programa Escola Digna, o que foi prontamente aceito. E o deputado Wellington do Curso foi convidado pelo secretário Felipe Camarão a comparecer à Seduc para conhecer o programa.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação