Derrotado na disputa pelo Senado, Sarney Filho assume secretaria no DF

0
707

Frustrado em suas pretensões de se eleger senador da República pelo Maranhão, o ex-deputado federal Sarney Filho (PV) permanecerá em Brasília (DF). Nesta terça-feira (1°) ele foi empossado no cargo de secretário do Meio Ambiente do Distrito Federal. Ele foi convidado pessoalmente pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) que justificou a escolha com base no trabalho por ele desenvolvido no Ministério do Meio Ambiente nos governos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Michel Temer (MDB).

A cerimônia de posse ocorreu na Praça do Buriti, logo após a transmissão do cargo no Palácio do Buriti nesta terça-feira (1º).

Além de secretários e diretores, apenas cargos “fundamentais” foram nomeados – a lista deve ser ampliada nos próximos dias. Até o momento, o governo Ibaneis não chegou a divulgar um teto para o número de servidores nessa fase inicial.

Dos 30 secretários indicados, 29 foram nomeados de fato. O Diário Oficial não inclui o nome do deputado federal Laerte Bessa (PR-DF) como chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). O órgão foi idealizado pela gestão Ibaneis em substituição à atual Casa Militar, mas a mudança só deve ser concluída nos próximos dias.

Perfil – Filho do ex-presidente da República José Sarney, Zequinha se elegeu deputado estadual pelo Maranhão, em 1979. Na eleição seguinte, garantiu cargo de deputado federal pelo PDS, posto para o qual foi reeleito nos seis períodos seguintes. Antes de chegar ao PV, partido que integra atualmente, passou pelo Arena, PFL e Democratas.
Quando Fernando Henrique Cardoso foi reeleito presidente,comandou o Ministério do Meio Ambiente pela primeira vez, entre 1999 e 2002. Ao deixar o cargo, o deputado filiou-se ao Partido Verde, e é o atual líder da bancada da legenda na Câmara dos Deputados.
Em maio de 2016, foi convidado pelo presidente Michel Temer (MDB) para voltar ao comando do Ministério do Meio Ambiente, onde permaneceu até abril deste ano. Na frente ambiental, destacou-se pelo antagonismo ao agronegócio. Levantou debates no Congresso sobre a prevenção de incêndios florestais e agressões a unidades de conservação.
Uma das principais atuações do futuro secretário de Meio Ambiente no Ministério foi no desastre da Samarco, que destruiu parte da cidade de Mariana, em Minas Gerais. Zequinha se recusou a assinar o termo de conformidade que permitiria à mineradora voltar a atuar no município.
Neste ano, disputou o cargo de Senador da República pelo Maranhão. Recebeu 752 mil votos, mas não foi eleito.
(Com dados da Agência Brasília)
Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação