Descaso com os Estadios e o Futebol Maranhense

0
747

Até o dia 30 de março o Campeonato Maranhense seguia dentro de sua inteira normalidade. A data marcou o fim da segunda rodada do returno, com a vitória do Araioses sobre o MAC e o empate do São José sobre o Santa Quitéria.
Na semana seguinte seria a vez da terceira rodada, já com caráter decisivo para vários clubes, que se perdessem, estariam fora das semifinais. Mas para paralisar o campeonato vieram as chuvas e o problema na drenagem do Castelão, impedindo a realização de jogos no Outeiro da Cruz por duas semanas.
A impossibilidade da realização de jogos no Castelão também trouxe a tona a cobrança pela recuperação do Nhozinho Santos, que não recebe jogos desde 2015 por causa de problemas estruturais. O certo é que neste cenário, o Campeonato Maranhense deverá ser concluído somente na segunda semana de maio, com o Campeonato Brasileiro em andamento.
Apesar do cenário sem futebol ser péssimo para todos envolvidos no esporte, é um bom momento para uma reflexão necessária. Porque o Nhozinho Santos ficou abandonado por todo este período e somente no meio deste caos do Castelão começaram as obras de recuperação?
Além disso, porque o Castelão não recebeu reparos do sistema de drenagem no período de férias dos clubes e dos jogadores? Apenas com o Gigante do Outeiro da Cruz disponível, era evidente que ocorreria uma sobrecarga de jogos e o estádio uma hora cederia.
Para finalizar, vale lembrar que o Estadual deverá ser estendido até maio por causa dos clubes. Na proposta inicial da Federação, o primeiro turno contaria apenas com jogos de ida, o que deixaria a reta decisiva do returno para o fim de fevereiro e, caso necessário a realização de dois jogos finais, teria o mês de março totalmente disponível, além de deixar mais datas livres para eventuais alterações da tabela.
O Campeonato Maranhense de 2016 caminhava como um bom torneio até o momento. Agora com a terceira rodada descontinuada e esperando a definição, os clubes ganham tempo de preparação, mas o torcedor fica longe do estádio e novas alterações de datas deverão ser feitas, já que no dia 20 de abril, o Sampaio entra em campo pela Copa do Brasil e no dia 28 é a vez do Imperatriz. Além disso, no dia 13 de maio começa a saga do Sampaio na Série B e no fim do mês será a vez do Moto e mais um maranhense iniciarem suas caminhadas na Série D.

Compartilhe