Dias de campo debatem produtividade agrícola no Maranhão

0
977

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) deu início, quinta-feira (11), com o evento Sistemas agrícolas consorciados – Alternativa de diversificação e elevação da produtividade na agricultura familiar, em Matões, a programa anual de dias de campo no Maranhão, voltados para pequenos, médios e grandes produtores, técnicos e extensionistas, além de estudantes e professores. A iniciativa, realizada desde 2014 e com previsão para até 2019, é de consórcio entre Embrapa Cocais, Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Meio Norte e Escritório da Embrapa SPM de Imperatriz-MA.

A estatal conta com apoio da Rede Brasil Arroz, BioFort, rede de produtos biofortificados (no Maranhão, feijão, milho e mandioca) com ferro e zinco, Sistemas Agrícolas Consorciados das Culturas Alimentares do Arroz, Feijão, Milho e Mandioca e Manejo integrado da Cultura do Arroz, sob coordenação da Embrapa.

Os eventos são realizados em regiões diferentes do Maranhão a cada ano, difundindo as inovações tecnológicas em diversas localidades do estado. A iniciativa conta ainda com o apoio das Prefeituras Municipais por meio de suas Secretarias Municipais de Agrcultura, Governo do Estado do Maranhão por meio da Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) e Secretaria de Estado da Agricultura (Sagrima), MST, AGERP e Associações de Moradores e Cooperativas de Produtores, além da Empresa Camil Alimentos e SENAR.

O objetivo é a melhoria das condições de manejo e diversificação dos cultivos para incrementar produção e produtividade com sustentabilidade socioeconômica e ambiental da agricultura (especialmente a familiar), eficiência no uso da terra e máxima rentabilidade da lavoura. A adoção das técnicas propicia a redução da carga de trabalho e do desmatamento, ampliação da capacidade de produção por unidade de área e mais segurança alimentar e de renda para a agricultura familiar.

Produtividade – O analista da Embrapa, Carlos Martins Santiago, exemplifica parte dos impactos já alcançados. Segundo ele, o Maranhão acumulava sequência de safras com produtividades bem abaixo da média nacional, sendo que, no passado, o Estado já foi um dos maiores produtores de arroz do País, mas sempre alavancado pela grande área plantada. Quando houve redução significativa de área o Maranhão foi ultrapassado em volume de produção por outros Estados.

Em 2014, a partir da implantação e divulgação da Lavoura de Arroz Irrigado Com Aplicação de Alta Tecnologia na Baixada Maranhense – LAVITEC, como alternativa de manejo, o incremento de produção para alguns produtores que seguem a recomendação, chegou a 100% por unidade de área. Veja ainda informações sobre outra tecnologia presente nesses dias de campo na publicação Cultivo do feijão-caupi em sistema agrícola familiar.

As unidades de construção do conhecimento, que englobam Unidades Demonstrativas (UDs) e Unidades de Referência Tecnológica (URTs), são instaladas para colaborar com essa mudança da realidade das comunidades locais. As culturas são beneficiadas por arranjos de produção que englobam fertilidade, espaçamento, densidade de semeadura, uso de cultivares mais adaptadas e rústicas, rotação de culturas, delineamento de cultivos e outras técnicas.

Confira o calendário dos próximos eventos:

  • Itapecurú Mirim-MA (20 de abril) – Manejo Integrado das cultivares de arroz da Embrapa: BRS Catiana, BRS MA 357, BRS Pepita, BRS Sertaneja e BRS Esmeralda.
  • São Mateus-MA (03 de maio) – Manejo das cultivares de arroz da Embrapa: BRS Catiana, BRS MA 357, BRS Pepita, BRS Sertaneja e BRS Esmeralda.
  • Igarapé do Meio-MA (05 de maio) – Rotação de culturas, safrinha e manejo das cultivares de arroz da Embrapa: BRS Pampeira, BRS Catiana, BRS Serra Dourada, BRS Sertaneja e BRS Esmeralda.
  • Buriti Bravo-MA (09 de maio) – Sistemas agrícolas consorciados de arroz, feijão e milho. Rotação de culturas, fertilidade e manejo do solo e de ervas daninhas. Cultivar de arroz BRS MG Caçula, BRS Esmeralda e BRS Sertaneja; milho BRS Sertanejo, Caupí BRS Guariba e BRS Gurguéia. Milho e feijão biofortificados.
Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação