Eduardo Braide assina ordem de serviço para recuperar imóvel de interesse social no Centro Histórico 

0
113

Imóvel é uma habitação de Interesse Social

O prefeito Eduardo Braide assinou, nesta quarta-feira (15), ordem de serviço no valor de R$ 236.113,28 para reforma emergencial do imóvel de nº 107, localizado na escadaria da Rua Humberto de Campos, no Centro Histórico de São Luís. O imóvel é uma habitação de Interesse Social, onde residem 18 famílias em situação de vulnerabilidade. Durante a obra, que será coordenada pela Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (FUMPH), serão executados serviços na cobertura, nas redes de drenagem, esgoto, além de pintura.

“Essa intervenção que vamos realizar neste imóvel da escadaria da Rua Humberto de Campos é muito importante para resolver uma série de infiltrações e problemas que vão desde drenagem à rede de esgoto. Um Centro Histórico revitalizado se faz com moradores, por isso sorteamos recentemente habitações de interesse social e, agora, estamos trabalhando para proporcionar mais dignidade aos que já residem nessa região”, destacou o prefeito Eduardo Braide ressaltando o trabalho que vem sendo realizado para humanizar o Centro Histórico e toda região.

O imóvel possui três pavimentos, incluindo o térreo – onde os serviços para melhoria das condições de habitação estarão concentrados. A obra vai iniciar já na próxima semana. Para isso, as seis famílias moradoras das unidades térreas contarão, durante igual período da obra, com o benefício do Aluguel Social providenciado pela Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), uma vez que elas precisarão desocupar os apartamentos em que residem para que a obra possa ser executada.

O problema estrutural a ser resolvido com a assinatura da ordem de serviço está comprometendo, também, os prédios vizinhos, inclusive de sua principal paralela, a Rua do Giz. Trata-se de um processo de infiltração envolvendo as redes de drenagem e esgoto, problema que deverá ser solucionado com a obra, que vai contar, ainda, com a pintura de toda a fachada e da área de circulação do piso térreo, o principal prejudicado pela vazamento nas instalações localizadas no subsolo do prédio.

“A gente precisa resgatar moradias no Centro Histórico, e essas moradias precisam ter dignidade. O que nós estamos fazendo, com a assinatura dessa ordem de serviço, é para proporcionar dignidade para famílias que estão sem condições de habitar esses apartamentos de interesse social enquanto essa situação não for resolvida. Nós temos 150 dias para resolver esse problema e devolver a dignidade para esses moradores”, pontuou a presidente da FUMPH, Kátia Bogéa.

Também estiveram presentes durante a assinatura da ordem de serviço, a secretária da Criança e Assistência Social, Rosângela Bertoldo e o secretário-adjunto de Comunicação, Igor Almeida.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação