“Eles que se cuidem porque vamos voltar a governar esse país”, ameaça Lula

0
1485

AQUILES EMIR

Em sua última parada da Caravana Nordeste, iniciada dia 17 de agosto em Salvador (BA), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou nesta terça-feira (05) de um comício em São Luís ao lado do governador Flávio Dino (PCdoB), onde previu sua volta à Presidência da República. Os dois buscaram inspiração no período da escravidão para mandarem suas mensagens aos presentes na Avenida Pedro II, em frente ao Palácio dos Leões, sede do Governo do Estado.

“Não queremos mais morar na senzala, queremos morar na casa grande. Temos direitos e vamos brigar. Se essa elite não pode fazer, não se escondam atrás de mentiras, façam uma eleição pra gente mostrar”, disse Lula, que teve seu raciocínio de libertador enriquecido por Dino. “Estamos aqui olhando palácios, a Igreja da Sé, e a pergunta que vem é: “Quem foi que construiu esses palácios, a riqueza do Brasil?”, indagou Flávio Dino, para ele mesmo responder: “Foram os negros, os índios, povo mais pobre, mas estranhamente esse país desenvolveu um ódio contra os mais pobres. Esse país é racista sim, e temos que lutar contra isso”. 

Ainda em seu discurso, o ex-presidente disse que “o Lula hoje representa uma ideia, a ideia de que o povo pode, merece, quer viver bem. Aquela frase do Obama ‘nós podemos’ pode ser nossa”, frisou ele, fazendo uma profecia sobre a volta do PT ao governo: “Eles que se cuidem porque vamos voltar a governar esse país, esse povo vai voltar a governar esse país”.

Lula recebeu de uma comissão de deputados estaduais o título de cidadão maranhense e a medalha de honra ao mérito da Assembleia Legislativa, representantes da (Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura do Estado do Maranhão (Fetaema) e do Movimento dos Sem Terra (MST) entregaram a ele uma cesta de produtos trazidos de áreas beneficiadas pela reforma agrária.

Oficialmente, foram 25 cidades, mas com muitas paradas não programadas no caminho. Vinte dias, mais de 4 mil quilômetros, dezenas de homenagens, milhares de selfies, milhões de compartilhamentos nas redes sociais.

HomenagemO governador Flávio Dino levou enalteceu outro grande maranhense Manoel da Conceição. E encerrou: “quero falar do futuro. Nós temos como falar com o povo pobre. Vou cuidar dessa luta no Maranhão que é grande, mas não se esqueça: todas as vezes que o senhor precisar pode contar com o povo do Maranhão”.

Manoel da Conceição, fundador do PT no Maranhão, entregou a Lula a bandeira do Partido dos Trabalhadores que passou simbolicamente pelos presidentes do PT no nove estados nordestinos durante a jornada. Lula começou a falar, com a voz de quem fez incontáveis falas durante os 20 dias, e foi interrompido pelos gritos de “olê . Agradeceu os governadores Flávio Dino e Wellington Dias, os senadores Paulo Rocha (PA) e Humberto Costa (PE), os deputados federais estaduais e “a cada mulher e a cada homem presente nessa praça, os movimentos sociais, o MST, a CUT, a Contag e todas as centrais que tiveram uma dedicação em cada estado”.

(Com dados e imagens do PT)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação