Eliziane, Weverton e Roberto Rocha devem votar unidos para presidente do Senado

0
2600
Weverton Rocha, Roberto Rocha e Eliziane Gama (em foto montagem) devem votar no mesmo candidato a presidente do Senado

AQUILES EMIR

Apesar das diferenças partidárias e do rescaldo da recente disputa eleitoral que os colocou em campos opostos tanto a nível estadual quanto nacional, os senadores Roberto Rocha (PSDB), Weverton Rocha (PST) e Eliziane Gama (PPS) estão próximos de se juntarem a primeira votação de comum acordo: a eleição da nova mesa diretora do Senado, marcada para dia 02 de fevereiro.

Os partidos dos três parlamentares trabalham pela viabilização da candidatura do tucano cearense Tasso Jereissati para sucessor do também cearense Eunício Oliveira (MDB).

Embora ainda trate a disputa com muita discrição, Jereissati trabalha nos bastidores pelo fortalecimento do seu nome e sabe que conta com simpatia do presidente Jair Bolsonaro para derrotar Renan Calheiros (MDB-AL), que foi um dos maiores cabos eleitorais de Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial do ano passado.

O acordo de PDT e PPS contraria interesses de petistas, que não querem nenhuma aproximação de candidatos que tenham ligação com o partido de Bolsonaro, seja na Câmara ou no Senado, mas como lembrou o senador Weverton Rocha, quinta-feira (17), na posse da nova diretoria do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA), os palanques já estão desmontados.

Tasso Jereissati deve contar com apoio do PPS e do PDT na eleição do Senado

Entendimento – Consultado sobre essa possível aliança, Weverton desconversou. Segundo ele, somente no dia 25 o partido vai se reunir para definição de como seus membros irão votar nas duas casas do Congresso. Segundo Weverton, as negociações estão em aberto e não há, por enquanto, veto a nenhum nome, nem mesmo a Major Olímpio (PSL-SP), que ensaia o lançamento do seu nome para presidir o Senado.

Weverton Rocha faz questão de estabelecer diferenças entre eleições, pois na escolha dos dirigentes dos parlamentos pesa a valorização da legenda e como ela pode ocupar os melhores espaços para encaminhar votações de projetos que venham atender aos anseios da população.

Embora afirme a indefinição e coloque a questão passível de um amplo debate, o senador pelo PDT maranhense manifesta uma inclinação pela candidatura de Tasso Jereissati pela experiência que tem e por ser nordestino.

Roberto se movimenta também a favor de Tasso, e mais: estaria tentando se viabilizar para ocupar uma cadeira na mesa diretora, de preferência uma vice-presidência.

A senadora eleita Elziane Gama ainda não se manifestou.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação