Em palestra na Fiema, presidente da CNI diz que Temer faz o melhor governo dos últimos anos

0
771

AQUILES EMIR

Ao proferir palestra nesta quarta-feira (08), na Federação das Indústrias (Fiema), o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, defendeu a reforma tributária em debate na Câmara dos Deputados como uma das medidas mais importantes que devem ser tomadas para dinamizar o setor produtivo.

Segundo ele, o país tem um dos sistemas de arrecadação de impostos mais injustos do mundo e prova disse é que muitos estados estão em situação econômica delicada e não há muito o que fazer pelos governadores, já que os tributos chegaram a níveis insuportáveis, portanto aumenta-los ainda mais iria só criar problemas.

Robson de Andrade chegou a classificar o governo de Michel Temer como um dos mais eficientes para o setor produtivo, mas lamentou que suas ações estejam contaminadas pela crise política, denúncias de corrupção, suspeições dos políticos e outros irregularidades que maculam a imagem do Brasil internacionalmente. Ele lamentou também que o foco dos veículos de comunicação esteja direcionado para esses fatos negativos, ficando de lado o que o país tem de positivo, principalmente aquilo que o empresariado vem fazendo para dinamizar a economia.

O presidente da CNI disse que é injusta a acusação de que o empresariado não investe no social, e indagou: “Existe maior investimento social do que gerar emprego, recolher impostos e investir em novos negócios que ajuda a modernizar o pais?”.

Robson de Andrade veio a São Luís a convite do presidente da Fiema, Edilson Baldez, para participar da solenidade de abertura da Expo Indústria, feira multissetorial que está sendo realizada no Expo Center Sebrae. Além do encontro com diretores da Federação das Indústrias, ele esteve reunido também com conselhos do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MA), do qual é presidente nacional, e visitou o governador Flávio Dino. Baldez destacou que a relação entre as empresas e os órgãos do governo é o melhor possível, não havendo barreiras por parte das autoridades para impedir a aproximação dos investidores privados.

Robson recebendo brindes do presidente da Fiema, Edilson Baldez

Ações – O presidente do Sistema Fiema aproveitou a oportunidade para mostrar as realizações dos seus principais órgãos vinculados, o Sesi e o Senai, que estão voltados, respectivamente, para ações sociais e capacitação dos industriários. Após ouvir as explanações, Robson de Andrade anunciou que está desenvolvendo um sistema integrado do Senai a fim de que os empresários de todo o país possam usufruir de sua estrutura sem necessidade de haver multiplicação de investimentos para um mesmo serviço. “O empresário do Maranhão vai poder acessar um laboratório do Rio do Grande do Sul, assim como o industrial gaúcho vai poder contar com os serviços de um laboratório existente no Nordeste”, explicou.

Além dos presidentes da Fiema e da CNI, falaram das ações do governo do Maranhão o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, que falou dos investimentos que estão sendo feitos para tornar o Itaqui não apenas num porto regional, mas de integração regional, sendo a porta de saída e de entrada de mercadorias de vários estados para o exterior e de outros países para essas unidades federativas.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação