Tailândia manifesta interesse de estreitar relações comerciais com Maranhão

0
945

Ao participar nesta segunda-feira (1º) de uma reunião com empresários maranhenses, na Federação das Indústrias (Fiema), o embaixador da Tailândia, Surasak Suparal, disse que o seu país tem interesse em fazer negócios com o Maranhão em diversas áreas, principalmente do turismo. A ele foi apresentado um vídeo com as potencialidades o estado, que lhe causou boa uma impressão e a possibilidade de estreitamento de relações entre empresas dos dois países.

“Nosso interesse é comercial, na área de serviços, indústria, especialmente o turismo. Vimos no vídeo que vocês apresentaram hoje que muitos produtos produzidos no Maranhão nós importamos lá na Tailândia, como celulose, papel, ferro e aço. Entendemos que já existe uma relação comercial e se já estamos fazendo negócios é porque existe mercado para isso”, disse o embaixador.

Segundo ele, há interesse há interesse por parte do país asiático em algumas áreas específicas da indústria, a exemplo da de alimentos (soja, trigo, sementes, etc.), da indústria têxtil (algodão), de ferro e aço.

O presidente da Fiema, Edilson Baldez, disse que os empresários maranhenses também têm muito interesse em ampliar seus negócios para este país asiático.

“Temos muito interesse nesse intercâmbio, temos um território vasto, com riquezas minerais, mão de obra, e estamos trabalhando, há algum tempo, para essa ampliação do mercado de exportação. Aqui há grandes empresas, produzimos, e nosso interesse é atrair cada vez mais negócios e fazer a economia girar dentro do Estado”, afirmou Baldez.

O presidente da Fiema também comentou sobre o potencial do Porto do Itaqui, da Ferrovia Norte Sul para a logística e apresentou um vídeo à comitiva tailandesa, que reúne as potencialidades do estado.

O Reino da Tailândia é um estado soberano localizado no centro da península da Indochina, no Sudeste asiático. Atualmente, o Produto Interno Bruto (PIB) da Tailândia é de US$ 455 bilhões. Só em 2017, o Maranhão exportou para o país asiático algo em torno de US$ 51 milhões e importou US$ 169 milhões. A participação dos negócios do Maranhão na balança (Brasil) representa 0,98%.

Além de Surasak, também participaram da reunião a diplomata Phitchanan Panadamrong e o vice-presidente de Operações e Desenvolvimento para a Europa e América do Sul do grupo Minor Hotels, Marco Amaral.

Do Maranhão, participaram da reunião o diretor da Fiema, Raimundo Gaspar, o vice-presidente e o superintendente da entidade, Celso Gonçalo e Diogo Lima, respectivamente, assim como o 1º secretário Pedro Robson Holanda, além de executivos de empresas locais e representantes de instituições como Emerson Macedo, da Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão (Faema), Armando Ferreira, vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Maranhão (ABIH/MA), Chico Viana e Paulo Marinho.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação