Embrapa Cerrados inicia nesta quinta seminário sobre germoplasma e melhoramento genético

0
216

Serão apresentadas informações sobre melhoramento do maracujá, cevada, eucalipto e de raças zebuínas

Nesta quinta-feira (17), será realizado o primeiro módulo de um ciclo de palestras técnicas organizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cerrados), cujo objetivo é apresentar e debater as ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação relacionadas ao uso de germoplasma e programas de melhoramento genético animal e vegetal conduzidos na Unidade localizada em Planaltina (DF). O seminário “Pesquisa e Inovação em Germoplasma e Melhoramento Genético na Embrapa Cerrados” poderá ser acompanhado a partir das 14h no canal da Embrapa no Youtube.

Neste primeiro módulo serão apresentadas informações sobre os programas de melhoramento do maracujá, cevada, eucalipto e de raças zebuínas leiteiras.

“Decidimos promover esses eventos com o objetivo de mostrar para toda a sociedade a riqueza de material que temos relacionado aos programas de melhoramento”, explicou o chefe de Pesquisa & Desenvolvimento da Embrapa Cerrados, Lineu Rodrigues. Segundo ele, trata-se de um evento estratégico.

“Os nossos melhores trabalhos em sistemas de produção dependem de resultados oriundos dos programas de melhoramento. Isso precisa ter mais visibilidade”, enfatizou. “Vamos apresentar as experiências de sucesso dos nossos programas e evidenciar a importância da continuidade deles para o desenvolvimento dos produtos tecnológicos”, afirmou o chefe de Transferência de Tecnologia da Unidade, Fábio Faleiro.

Primeiro módulo – Um dos assuntos do primeiro módulo desse ciclo de palestras será o programa de seleção dos zebuínos leiteiros conduzido no Centro de Tecnologias em Raças Zebuínas Leiteiras (CTZL) – ambiente promotor de inovação da Embrapa Cerrados localizado no Recanto das Emas (DF).

O objetivo do trabalho é selecionar animais superiores puros e cruzados por meio de biotécnicas reprodutivas, atuar como núcleo de animais superiores de parceiros com relevância no melhoramento das raças selecionadas e, ainda, disseminar genética de qualidade aos produtores por meio de ações conjuntas com os governos estaduais, associações de criadores e cooperativas. As informações serão repassadas pelo pesquisador Carlos Frederico Martins.

Em seguida, a pesquisadora Karina Pulrolnik vai tratar do programa de melhoramento genético do eucalipto cujo trabalho na Embrapa Cerrados teve início em 2012 quando foi instalado o primeiro experimento a fim de avaliar determinados clones. A especialista explica que a maior parte dos clones de eucalipto utilizados no país foi desenvolvida para a utilização na fabricação de celulose, os quais tem uma densidade da madeira menor e há procura no mercado por clones cuja a madeira possua maiores densidades, mais apropriados para a produção de energia e para indústria de madeira serrada.

“A identificação de clones com melhor crescimento, menor mortalidade, melhor adaptação, maior densidade da madeira e forma do fuste é de grande importância, principalmente para o uso em sistemas integrados como a integração lavoura-pecuária-floresta”, explica.

O programa de melhoramento genético da cevada, tanto para malte quanto para alimentação animal, será outro tema do primeiro módulo desse ciclo de palestras técnicas. O objetivo da pesquisa é contribuir para o aumento da participação da produção nacional de cevada para suprimento das indústrias de malte instaladas no país, com consequente redução da necessidade de importação de grãos de cevada para essa finalidade, no caso de cevada para malte, e desenvolver genótipos de cereais de inverno para permitir o melhor aproveitamento das áreas de cultivo no outono e inverno no sul do Brasil por meio da diversificação da matriz de produção de grãos nos sistemas de integração agropecuários (ILP, ILF e ILPF), no caso de cevada para alimentação animal. As informações serão repassadas pelo pesquisador Renato Fernando Amabile.

O evento será encerrado com as discussões referentes ao melhoramento genético do maracujá cujo objetivo é o desenvolvimento de cultivares mais adaptadas, produtivas, com qualidade físico-química de frutos, resistência múltipla a pragas e doenças e adaptadas a diferentes sistemas de produção e regiões do Brasil.

“Considerando a diversidade genética dos maracujás, o foco do Programa é trabalhar o uso múltiplo e diversificado dos maracujás para geração de emprego e renda em toda cadeia produtiva”, explica o pesquisador Fábio Faleiro. O programa de melhoramento genético dos maracujás foi iniciado em 1996 com a implantação do primeiro Banco Ativo de Germoplasma de Passifloras da Embrapa Cerrados.

Serviço:

Seminário “Pesquisa e Inovação em Germoplasma e Melhoramento Genético na Embrapa Cerrados” – Primeiro Módulo
Data: 17 de junho
Horário: 14h
Local: canal da Embrapa no Youtube – https://www.youtube.com/watch?v=Yscp7SIFWJA 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação