Empregos nas indústrias de bebidas não alcoólicas aumentam 49% no Maranhão

0
1482

O crescimento acumulado de empregos na indústria de bebidas não alcoólicas é maior do Nordeste do que a média nacional. Entre 2006 e 2015, o setor registra aumento de 58,3% nos postos de trabalho no Brasil e 67,1% no Nordeste.

No Maranhão, o crescimento é de 49,03% no período. Os dois Estados do país que mais se destacam são Sergipe (crescimento de 348,3%) e Piauí (134,8%) e sinalizam descentralização maior da produção. Todos os Estados da Região, à exceção da Paraíba, registram aumento acima de 40%.

Os dados surpreenderam até o presidente do Sindicato da Indústria de Bebidas do Maranhão (Sindbebidas), Francisco da Rocha. Ele reconhece que está havendo recuperação no setor, e tratando-se do período analisado é provável que os números estejam próximos da realidade.

Ceará e Pernambuco são apontados como Estados com maiores quantidades de estabelecimentos e vínculos na indústria de bebidas não alcoólicas e ocupam o segundo e o terceiro lugares no ranking nacional.

A análise é do Escritório de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão de pesquisas do Banco do Nordeste, e está no documento Caderno Setorial, disponível no link:www.bnb.gov.br/publicacoes-editadas-pelo-etene.

A indústria de bebidas não alcoólicas na Região concentra 33,2% dos estabelecimentos e 26,3% dos empregos. O percentual de empregos menor que o de estabelecimentos revela que as empresas nordestinas são, em grande maioria, de pequeno porte, segundo a pesquisa.

A estimativa é que o crescimento no setor seja moderado nos próximos anos, em torno de 3% ao ano até 2021.

Segundo o estudo, em 2006, o Maranhão correspondia com 1,4% do total de indústrias deste segmento e chegou em 2015 a 2,0%. Já com relação aos empregos, o estado tinha 1,6% da massa empregada, enquanto em 2015, esse percentual subiu para 2,0%.

Além das tradicionais marcas brasileiras – Ambev, Coca-Cola, Schin – o Maranhão conta com uma vasta rede de indústrias locais, tanto de refrigerantes e sucos, como Psiu e Ríver, quanto de água: Puríssima, Lençóis Maranhenses e outras.

Veja na tabela abaixo a evolução do emprego na indústria de bebida não alcoólica nos estados:

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação