Empresários participam de rodada de negócios com Toyo Setal, Ambev, Psiu e Mineração Aurizona

354

Iniciativa tem parceria da Secretaria da Indústria e Comércio 

Com o objetivo de ampliar compra e venda de produtos e serviços entre fornecedores maranhenses e grandes empreendimentos instalados e em instalação no Maranhão, a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), em uma ação do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF), realizou nesta quinta-feira (27), uma rodada de negócios com a participação de empresas locais e as indústrias Eneva (através da sua contratada Toyo Setal, que vai construir mais uma usina termelétrica no Complexo Parnaíba), Ambev, Psiu e Mineração Aurizona.

A iniciativa tem a parceria da Secretaria da Indústria, Comércio e Energia (Seinc) e visa aproximar empresas compradoras e empresas fornecedoras locais, promovendo interação, networking e principalmente, novos negócios.

O vice-presidente executivo da FIEMA, Fábio Nahuz, juntamente com o coordenador do PDF, Carlos Jorge Taborda, e a presidente do Conselho Gestor do PDF e gerente Ambiental, Social e Governança da Eneva, Aline Louise, fizeram a abertura da rodada, que também teve a participação do vice-presidente executivo da FIEMA, Celso Gonçalo, do secretário da Seinc, Simplício Araújo, e da secretária adjunta de MPE da Seinc, Luzia Rezende.

“Nós sempre lutamos junto com o PDF e com a própria Federação, para que as nossas empresas tenham espaço, voz e vez.  Nós temos competência, boas empresas, bons materiais e fornecedores gabaritados para trabalhar e, às vezes, se cria um estigma de muitos anos, que aqui no Maranhão nós não temos. Esse momento é muito importante para as empresas maranhenses. O que queremos é que essa interação seja cada vez maior, proporcionando a geração de mais renda e mais empregos para a nossa população”, destacou Fábio Nahuz. O também presidente do Sinduscon-MA confirmou que novos encontros de negócios estão planejados para acontecer em 2022.

Participaram da rodada fornecedores dos mais diversos segmentos industriais, do comércio e serviços, entre eles, construção civil, elétrico, mecânico, hidráulico, vestuário, metalurgia, materiais de consumo, inclusive empresas associadas aos sindicatos do setor industrial, como Sinduscon-MA, Sindmetal, Sindvest e Sindgraf.

Para Jackson Francisco, coordenador comercial da Rofe, o objetivo principal da participação da distribuidora no evento do PDF é estreitar o relacionamento com os representantes das empresas presentes na rodada e identificar potenciais clientes.

Jackson Francisco, coordenador comercial da Distribuidora Rofe

“Nosso intuito é de fornecer um atendimento de qualidade, uma boa prestação de serviços e produtos, insumos e materiais que possam agregar a eles de alguma forma. A ROFE distribuidora trabalha com um mix de mais de 10 mil itens, então, de alguma forma, a gente pode conseguir ajudar essas empresas que já estão aqui e as que estão chegando a crescer em suas obras locais”, afirmou.

Já Valéria Galdino, diretora da empresa Ciclo Ambiental e Arcanos Engenharia, apontou que a oportunidade agrega valor aos pequenos e grandes fornecedores de São Luís. “Há grandes profissionais aqui, grandes empresas que conseguem fazer serviços, prestadores de serviços melhores que os que vem de fora. Acho que essa valorização interna é muito boa e muito gratificante para todo o Estado, especialmente, em termos de movimentação econômica, de emprego e renda para as pessoas locais”.

Segundo o secretário da Seinc, Simplício Araújo, a rodada de negócios demonstra a movimentação econômica das empresas no Maranhão e estratifica quais são os serviços e as compras disponíveis para serem realizadas e oportuniza o diálogo entre os participantes. “Um diálogo transparente, onde as pessoas têm a possibilidade de aumentar as suas vendas, de fazer, de alguma forma, uma movimentação econômica importante, principalmente num momento como esse de crise e de pandemia”.

Termoelétrica – A gerente da Eneva, Aline Louise, detalhou o projeto da termelétrica para os empresários presentes ao encontro. De acordo com os dados da empresa de energia, a construção da sexta usina termelétrica da Eneva, Parnaíba VI, corresponde a um investimento de R$ 600 milhões, com conclusão prevista para 2025, gerando 600 postos de trabalho diretos e garantindo uma produção de 92MW de potência no fechamento do ciclo, aproveitando o calor gerado por uma térmica já existente, para gerar 50% mais energia. A responsável pela obra será a Toyo Setal, uma das empresas compradoras da rodada de negócios promovida pelo PDF.

Em tempo, o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF) é gerido pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) e pelas empresas mantenedoras Alumar, Eneva, Equatorial Energia, Solar Coca-Cola e Vale, em parceria com o governo do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui