Encontro de fotógrafas é realizado na Praça Nauro Machado, na Praia Grande

0
882

Lançar luzes para o trabalho desenvolvido por fotógrafas em São Luís, reunir as profissionais e apaixonadas pela fotografia da capital maranhense, incentivar novas mulheres no mercado da fotografia, bem como alertar sobre sexismo ainda muito presente neste segmento. Essa é a proposta da primeira edição do Encontro das Fotógrafas de São Luís que acontece na próxima terça-feira (15), das 15h às 18h30 na Praça Nauro Machado (Praia Grande). O evento é gratuito.

Organizado em São Luís pelas fotógrafas Maria Thereza Soares (foto principal) e Julyane  Galvão, o evento surgiu no Rio de Janeiro, por iniciativa da fotógrafa carioca Wania Corredo que pensou uma forma de reunir as colegas de profissão. A reunião ocorreu no último dia 6 em frente à escadaria do Theatro Municipal, na Praça da Cinelândia, mobilizando 137 fotógrafas que se reuniram com o intuito de fazer um registro fotográfico do encontro.

Imagens do encontro no Rio de Janeiro foram divulgadas nas redes sociais e em jornais locais e de outros estados, e fez com que o tema ganhasse proporções e ensejos de fotógrafas de outros estados em reunir as profissionais para a troca de experiências que começaram a se mobilizar para a reunião.
Programação – Na programação de São Luís será realizado o registro fotográfico do grupo, além da reunião das profissionais que irão expor seus trabalhos em um varal fotográfico, intercâmbio de experiências.  Também está previsto a participação de brechós e foodbikes. A ideia é que a iniciativa gere outros projetos no ramo fotográfico.

 

Segundo Maria Thereza Soares, uma das organizadoras do evento, a ideia é projetar o trabalho das profissionais que já estão no mercado e incentivar a participação de outras mulheres no universo fotográfico que ainda é marcado por muito preconceito.

“Sim, há sexismo e outros preconceitos. Os dados das disparidades podem ser obtidos em pesquisas na literatura histórica fotográfica, nos festivais de fotografia, nos prêmios, etc. Muitas fotógrafas seguem na invisibilidade mesmo produzindo trabalhos de qualidades, por consequência do protagonismo masculino. Esse contexto desigual pode ser observado em nível mundial”, detalha.

A fotógrafa Julyane Galvão (foto acima), também organizadora do evento, ressalta a importância do evento. “ A mulher em seu convívio social tem uma exclusão de diversas funções perante a sociedade. Esse momento de união mostra a garra e competência que qualquer uma de nós é capaz de fazer ou desenvolver atividades. Em relação à fotografia, mostraremos destaques locais que em muitos casos não possuem oportunidades para demonstrar seu trabalho, ou mesmo daremos espaço para que relatem seus depoimentos vividos em seu meio pessoal e profissional” pontuou.

 

Compartilhe