Eneva inicia a exploração de novas áreas na Bacia do Parnaíba arrematadas no ano passado

0
839

Blocos foram adquiridos na rodada 14 do leilão da ANP, em 2018  e com a exploração, empresa espera expandir ativos na região

A Eneva começou este mês campanha exploratória de novos blocos na Bacia do Parnaíba em áreas foram adquiridas na rodada 14 do leilão Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), no ano passado. Com o trabalho, a empresa espera expandir os ativos na região, onde já opera o Complexo de Parnaíba, com quatro usinas.

Em agosto deste ano a Eneva iniciou o projeto de Parnaíba V, com investimento de R$ 1,3 bilhão, caracterizado como um projeto de eficiência energética por não consumir nenhuma molécula adicional de gás.

O gerente de Interpretação da companhia, Frederico Miranda, explica quais serão os próximos passos da campanha, que se encontra na etapa de aquisição sísmica. “Todo o trabalho de exploração começa com a aquisição dos dados sísmicos para definição dos futuros prospectos e potenciais descobertas de gás, estendendo assim a vida do Complexo Parnaíba ou mesmo possibilitando a implementação de novos projetos na região”, detalha.

Essa etapa se subdivide em várias atividades começando pela permissoria, que é obter a autorização dos proprietários das terras para acesso às áreas onde serão feitos os registros sísmicos. A seguir, a empresa realizará as fases de topografia, perfuração, carregamento, registro e recuperação de áreas. “Depois disso, os dados serão processados e interpretados pela equipe de Interpretação da Exploração. Este trabalho deve ser concluído entre o final de 2020 e início de 2021”, acrescenta Miranda. 

De acordo com o gerente de Interpretação, a campanha apresenta vários desafios, desde a definição do programa sísmico, com o desenho das linhas que serão adquiridas, parametrização do próprio levantamento (espaçamento e quantidade das cargas, espaçamento dos registradores e tipo de equipamento a ser utilizado), até a própria aprovação dos investimentos necessários.

“Esse trabalho pode resultar em novas descobertas a curto e médio prazo, contribuindo para a continuidade do ciclo exploratório e garantindo a reposição de reservas de gás, combustível fundamental para o crescimento da Eneva”, completa Miranda.

Projeto prioritário – O Ministério de Minas e Energia classificou o Parque dos Gaviões, no Complexo de Parnaíba (MA), operado pela Eneva, como projeto prioritário para o governo. O enquadramento como projeto prioritário permite à companhia investir na exploração e produção de gás na Bacia do Parnaíba, promovendo a interiorização do desenvolvimento para o interior do país.

Eneva – A Eneva é uma companhia integrada de energia, com negócios complementares em geração de energia elétrica e exploração e produção de hidrocarbonetos. Seu modelo de negócios é centrado na gestão do Reservoir-to- Wire (R2W), geração térmica integrada aos campos produtores de gás natural.

Com um parque térmico de 2,2 GW de capacidade instalada, a Eneva detém 11% da capacidade térmica a gás natural instalada no País. Na parte de óleo e gás, é a maior operadora privada de gás natural do Brasil, com capacidade de produção de 8,4 milhões de m3 por dia. A companhia opera mais de 40 mil km2 de área na Bacia do Parnaíba, no Maranhão, área equivalente ao tamanho da Suíça.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação