No Roda Vida da TV Cultura, nesta segunda-feira, Flávio Dino defende regulação para a internet

63

Futuro ministro comparou as redes sociais com  dilúvio

AQUILEES EMIR

Entrevistado no programa Roda Viva da TV Cultura, nesta segunda-feira (19), o senador eleito pelo Maranhão e futuro ministro da Justiça, segundo anúncio do presidente eleito Lula, Flávio Dino (PSB) confirmou a pretensão de haver uma regulação da internet no governo próximo governo. Ele mesmo estaria chamado para si essa responsabilidade, ao anunciar a criação de uma Secretaria de Direito Digital.

Questionado pela jornalista Laura Diniz sobre este assunto, Flávio Dino disse que “estamos nos aproximando de um dilúvio”, ou seja, de uma ameaça pelos meios eletrônicos, e entende que a segurança digital é vital para a sociedade e para uma democracia completa.

“Pedi à professora Estela Aranha que lidere um trabalho em torno dos direitos digitais e da segurança digital. Isso envolve o direito de personalidades, o direito das pessoas. Envolve o apoio a Polícia Federal, que criará uma diretoria própria para os crimes cibernéticos, para que tenhamos uma regulação penal mais adequada,” anunciou.

Ativismo – Flávio Dino saiu em defesa o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sobre o qual diz não haver divergências sobre seus atos de vozes relevantes. Dino chegou a dizer que graças ao papel exercido pelo ministro, ele estava concedendo aquela entrevista, já que garantiu um processo eleitoral tranquilo.

Ele, no entanto, criticou o ativismo judicial de outros magistrados, e indiretamente citou o que considera de excessos do ex-juiz federal Sergio Moro, senador eleito pelo Paraná, que presidiu a Lava Jato. Segundo o entrevista, as pessoas podem encontrar vários meios para se tornarem populares, como cantor, jogador de futebol etc, mas como juiz isto não é cabível.

Sobre o inquérito das fake news, presidido por Moraes, também chamado de inquérito do fim do mundo, disse que com a normalização do país ele será concluído. Também não enxerga exageros nessas investigações.

Amazônia – O jornalista Bruno Abbud, ao falar sobre Amazônia, relembrou o caso de Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira e perguntou sobre os planos para combater a violência no Vale do Javari e aumentar a presença do Estado na região. Como resposta, Dino disse que é necessário aumentar a presença dos órgãos federais e dar alternativas econômicas para a população local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui