Especialistas dizem como fazer bons negócios no Feirão da Casa Própria

0
351

No próximo dia 18, a Caixa Econômica Federal realiza no Multicenter Sebrae, em São Luís, a 14ª edição do Feirão da Casa Própria da Caixa, evento que foi aberto nesta sexta-feira (04), com a oferta de mais de 202.793 imóveis novos e usados. Segundo a instituição, a expectativa é realizar R$ 15 bilhões em volume de negócios, ante R$ 13 bilhões no ano passado.

De acordo com a Caixa, o evento contra com mais de 1.100 parceiros, sendo 559 construtoras e 422 correspondentes imobiliários, além de 124 imobiliárias, que ocuparão os estandes do evento em todo o país. Serão 179 mil imóveis novos e 23 mil usados que estarão disponíveis, nas 15 cidades onde será realizado. Em São Luís, são 31 parceiros que vão ofertar 7,7 mil imóveis, entre novos e usados.

O feirão é uma boa oportunidade de se fazer bons negócios, mas antes de realizar o sonho da casa própria é preciso tomar alguns cuidados, como, por exemplo, analisar localização do imóvel, estado de conservação, infraestrutura da região, valor do bem e disponibilidade de recursos financeiros. Uma das questões mais importantes, porém, é em relação à documentação necessária para a efetivação de uma transação segura, ou seja, uma avaliação jurídica detalhada do vendedor e do próprio imóvel.

O consumidor também deve observar atentamente as cláusulas contratuais, em especial as que estabelecem as condições de pagamento, ocupação, demandas judiciais existentes e débitos relativos ao imóvel. Tudo isso deve ser muito bem analisado para se ter uma boa compra pois, na ausência dessas informações, o consumidor pode acabar adquirindo um problema.

O advogado Arthur Ongaro, do escritório Corrêa, Ongaro, Sano Advogados Associados, de São Paulo, dá algumas dicas para uma boa compra. Confira:

  1. Faça uma pesquisa na Internet: pesquise antes os preços que as construtoras praticavam antes do feirão. A internet é uma ótima ferramenta. É possível encontrar anúncios de imobiliárias ou corretores de alguns meses atrás, muito importante para fugir das falsas ofertas.
  2. Vá com calma: não se empolgue no primeiro estande que entrar. Visite vários e compare as condições, o tipo de produto e analise o custo-benefício.
  3. Analise seu orçamento: avalie seu orçamento de forma bastante conservadora e lembre-se que a prestação não pode comprometer mais de 30% da renda familiar
  4. Financiamento é uma opção: apesar de muita gente estar preocupada com os juros do financiamento, ele ainda pode ser uma forma importante de viabilizar uma boa compra. Com a portabilidade do crédito imobiliário é possível trocar de banco no futuro quando as taxas caírem.
  5. Veja os outros custos envolvidos: Pergunte aos incorporadores o valor estimado do condomínio, mesmo que o prédio ainda esteja em obra, para você poder calcular seus gastos. Uma boa infraestrutura de lazer representa mais custos.
  6. Documentação: Junte toda a documentação referente à negociação do imóvel. Elas deverão compor um dossiê sobre o processo de compra e venda do imóvel.
Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação