Esposa de opositor venezuelano diz que viagem à Europa continua de pé

0
583

Lilian Tintori, ativista e esposa do líder opositor venezuelano Leopoldo López, que está em prisão domiciliar, garantiu neste sábado (2) que a viagem que a levaria à Europa, onde se reuniria com os governantes de França, Espanha, Alemanha e Reino Unido a partir da segunda-feira (4), está mantida com outros representantes, depois que as autoridades a proibiram de deixar a Venezuela. A informação é da Agência EFE.

“Esta excursão será realizada em cada um dos países, e em cada uma das reuniões vamos ter quem nos represente, que vão dizer o mesmo que eu ia dizer e ainda melhor”, disse Lilian em entrevista na sede do partido Vontade Popular, liderado por seu marido, em Caracas.

“Eles sabiam desta excursão e fizeram o máximo para impedi-la. Acreditam que a viagem fracassou porque eu não vou, porque não me deixaram sair, porque apreenderam meu passaporte”, declarou a ativista minutos depois que as autoridades venezuelanas confiscaram seu passaporte, quando embarcaria.

Lilian apresentou aos jornalistas a ata com a qual as autoridades proibiram sua saída do país e confiscaram seu passaporte. A decisão foi tomada pelo Ministério Público (MP).

A advogada de Lilian, Ana Leonor Acosta, denunciou a suposta irregularidade que representa o fato de o MP emitir esse tipo de ordem, que, segundo ela, só pode ser emitida por um tribunal.

O presidente da França, Emmanuel Macron, enviou mensagem de apoio a Lilian, na qual assegurou que está à espera da ativista na Europa.

“Esperamos Lilian Tintori na Europa. A oposição venezuelana deve permanecer livre”, escreveu Macron no Twitter.

No dia 29 de agosto, o presidente francês disse, em discurso para os embaixadores franceses, que o regime do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, é uma “ditadura que tenta se manter de pé às custas de um sofrimento humano sem precedentes e de uma radicalização ideológica preocupante”.

Agência Brasil

Compartilhe