EUA exigem “ações” na Venezuela perante “trágica situação” no país

0
1113

A missão dos Estados Unidos perante a ONU exigiu nesta quinta-feira (22) ações das Nações Unidas na Venezuela perante a “trágica situação” do país. “O povo venezuelano está passando fome enquanto o governo pisa na democracia”, afirmou em um comunicado a embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley. A informação é da agência EFE.

“A comunidade internacional deve agir, inclusive se o Conselho de Direitos Humanos e a Organização de Estados Americanos (OEA) estiverem bloqueados” nas suas decisões sobre a Venezuela, acrescentou.

A chamada foi feita horas depois do encerramento da Assembleia Geral da OEA em Cancún (México), sem que tenha sido aprovada uma resolução proposta por vários países a favor do cancelamento da convocação e realização da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela.

Na sua mensagem, Nikki Haley destacou “os contínuos esforços” dos Estados comprometidos a manter a democracia no continente.

Chanceler – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, nomeou nesta quarta-feira (21) como novo ministro das Relações Exteriores o embaixador do país na Organização dos Estados Americanos (OEA), Samuel Moncada. Ele vai substituir Delcy Rodríguez, que deixa o cargo para se candidatar a integrante da Assembleia Nacional Constituinte, convocada recentemente. A informação é da Agência EFE.

Em rede obrigatória de rádio e televisão, Maduro afirmou que convocou o vice-ministro para a América do Norte e embaixador na OEA, Samuel Moncada, para que assuma a chancelaria a fim de “manter a verdade da Venezuela” no mundo.

Rodríguez estava no cargo desde dezembro de 2014. Agora, ela se apresentará como candidata a ajudar na redação da nova Constituição e, por lei, deve deixar o ministério. No dia 1º de junho, Maduro anunciou que Rodríguez e a primeira dama Cilia Flores seriam candidatas à Assembleia Constituinte.

Rodríguez, que não esteve presente na reunião de ministros presidida hoje por Maduro, está em Cancún, onde os chanceleres dos países-membros da Organização de Estados Americanos (OEA) fazem assembleia para discutir a crise na Venezuela. Eles ainda não fecharam acordo sobre o país caribenho.

Maduro destacou o trabalho de Rodríguez à frente da Chancelaria venezuelana. “A chanceler, que tem que sair para ser candidata à Assembleia Nacional Constituinte, merece o reconhecimento de todo o país porque defendeu como uma tigresa a soberania, a paz e a independência da Venezuela”, afirmou.

(Agência EFE)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação