Ex-policial que matou George Floyd pode pegar pena de 70 anos de prisão

0
112

A morte causou protestos no país e em todo o mundo

O ex-policial de Mineápolis Derek Chauvin foi condenado nesta terça-feira (20) por homicídio no episódio de prisão e morte de George Floyd, um marco na história racial dos Estados Unidos e uma repreensão ao tratamento dado pela polícia aos negros no país.

Os jurados iniciaram suas deliberações nesta segunda-feira (19). Chauvin foi considerado culpado pelas acusações de homicídio de segundo grau, homicídio de terceiro grau ou homicídio culposo.

As três acusações somam uma possível sentença de prisão máxima de 70 anos , informou o canal de notícias CNN.

Depois de ler o veredicto, o Ministério Público pediu a revogação da fiança concedida a Chauvin e o juiz Peter Cahill aceitou, então o ex-policial foi transferido para uma cela algemada para aguardar a leitura de sua sentença, que, segundo o magistrado, será anunciada em oito semanas.

Em um confronto mostrado em vídeo, Chauvin, que é branco, pressionou o joelho no pescoço de Floyd, um homem negro de 46 anos algemado, por mais de nove minutos, no dia 25 de maio de 2020, quando ele e três colegas policiais detiveram Floyd, que foi acusado de usar uma nota falsa de US$ 20 para comprar cigarros em um supermercado.

A morte de Floyd gerou protestos contra o racismo e a brutalidade policial em muitas cidades dos Estados Unidos e ao redor do mundo no ano passado. O tribunal de Mineápolis foi cercado por barricadas e vigiado por agentes da Guarda Nacional.

(Com informações das agência Brasil e Télam)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação