Ex-presidente Lula reclama de Bolsonaro por estar destruindo “o que fizemos em 13 anos”

0
453

AQUILES EMIR

Ao participar neste sábado (08) da festa dos 40 anos do Partido dos Trabalhadores (PT), numa casa de eventos no Centro do Rio de Janeiro, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva voltou a criticar o que classifica de desgoverno de Jair Bolsonaro. “Eles estão conseguindo destruir tudo que nós fizemos nos 13 anos (em que o PT foi governo”, disse Lula, que convocou os líderes a voltarem às ruas senão “estaremos perdidos”.

No mesmo evento, a presidente nacional do partido, deputada federal pelo Paraná, Gleisi Hoffmann, lembrou que Lula está fora da cadeia, mas não livre, pois continua condenado, já que foi apenas beneficiado sobre um entendimento do Supremo foi rito de julgamentos. Ele foi sentenciando pelo ex-juiz federal Sergio Moro, atual ministro da Justiça, sob acusação de comandar um grande esquema de corrupção, dentre eles o do triplex do Guarujá, no litoral paulista, que teria sido reformado e adequado às necessidades de sua família pela OAS em troca de obras no governo.

De acordo com os organizadores do evento, mais de 20 mil pessoas passaram pela Fundição Progresso, local da festa, nos seus três dias de programação. Além de líderes petistas, políticos de outras legendas de esquerda, como o deputado Marcelo Freixo (PSol); Manuela d´Ávila (PCdoB), que foi candidata a vice-presidente em 2018 na chapa de Fernando Haddad; Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, participaram da festa;e Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB.

Além de criticar a condução da economia por Jair Bolsonaro, Lula fez ressalvas também à política externa, classificando de subserviência ao governo americano as relações com os Estados Unidos. “Temos de colocar na pauta a questão da soberania, meio ambiente, da água, empregoeducação e ciência e tecnologia”, disse ele.

Festa dos 40 anos do PT foi realizada numa casa de eventos no Centro do Rio

Lula participou de um diálogo com Pepe Mujica, ex-presidente do Uruguai e atual senador pelo país vizinho. “A política é imprescindível para os seres humanos. Se vivemos em sociedade, vai haver conflito. E se há conflito, precisamos lutar para um novo valor para política. E quem faz isso são jovens”, destacou Mujica.

Para Lula, “é importante a gente ouvir o companheiro Pepe Mujica. Ele já foi preso, torturado, ficou na solitário e ao invés de ficar em casa lamentado a vida, ele ainda tá na rua brigando pelo que é o melhor. Por isso, não há existe saída fora da política. E são os jovens que devem fazer a política. Eu queria deixar um recado para vocês. Que não desanimem nunca. Quero pedir para a juventude brasileira levar em conta que ela é muito importante para as lutas que teremos que fazer esse ano”.

Marcelo Freixo (PSol), Carlos Lupi (PDT), Gleisi Hoffmann (PT), Manuela d´Ávila (PCdoB) e Carlos Siqueira (PSB)

Agradecimento – A presidenta nacional do PT e deputada federal, Gleisi Hoffmann, fez questão de agradecer a presença dos outros partidos, e o apoio recebido no período em que o ex-presidente esteve preso na Carceragem da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde cumpriu parte da pena pela condenação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

“Quero agradecer a solidariedade dos partidos na luta por Lula Livre. Ele está solto, mas não está livre plenamente. Queremos o restabelecimento dos direitos políticos dele. Não dá para falar em democracia se esses direitos não forem reconhecidos e tivermos essa perseguição política. Quero também lembrar que o que nos une é exatamente essa visão de desenvolvimento do Brasil, de proteção e melhoria das condições de vida do povo brasileiro”, disse ela.

(Com informações da Agência PT e fotos de Diego Padilha)

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação