Exposição rememora 20 anos do retorno de obras que pertenceram a Arthur Azevedo para o Palácio dos Leões

59

Coleção Arthur Azevedo foi adquirida pelo Governo em 1910

Há 20 anos, o então secretário-chefe da Casa Civil do Governo do Maranhão, Carlos Brandão, assinava o decreto nº 19.354/2003, para realocar no Palácio dos Leões, sede do Poder Executivo Estadual, um valioso acervo com obras de arte que integravam a coleção do teatrólogo maranhense, Arthur Azevedo (1855-1908). Para celebrar a data, o agora governador Carlos Brandão convida a população para visitar a mostra “20 anos de Arthur Azevedo, 20 anos de (Re)Visitação”, que estará aberta a partir deste sábado (11), e ficará disponível ao público visitante pelos próximos três meses.

“É importante que a sociedade venha aqui conhecer essas novas peças, já todas reformadas. São trabalhos históricos, é a nossa história e, por isso, é importante que você venha conhecer, aqui, no Palácio dos Leões”, convoca o governador.

A denominada “Coleção Arthur Azevedo” foi adquirida pelo Governo do Maranhão em 1910. Além de teatrólogo, contista, jornalista e poeta, Arthur Azevedo também foi um grande apreciador e colecionador de obras de artes.

No acervo artístico de Arthur Azevedo, um dos expoentes do naturalismo/realismo literário no Brasil, constavam mais de 23 mil peças, entre gravuras, pinturas, esculturas, livros, enciclopédias e obras de diversos artistas nacionais e internacionais como Victor Meirelles, Antônio Parreiras, Augusto Off, Louis Lartigau, Goya e Rembrandt.

Por mais de 90 anos, o acervo de Arthur Azevedo circulou por diversas casas de cultura do Maranhão, até que Carlos Brandão, em acordo com o então governador José Reinaldo Tavares, destinou a coleção artística para curatela definitiva da equipe da Curadoria de Bens Culturais do Palácio dos Leões, como explica a diretora do Museu do Palácio dos Leões, Anna Carolina Vieira.

“Nesse ano de 2023 estamos comemorando 20 anos de retorno da coleção Arthur Azevedo para o Palácio. Há 20 anos o nosso governador Carlos Brandão assinava o decreto, como chefe da Casa Civil, trazendo essa coleção de volta para o Palácio, ficando sob responsabilidade direta do governador”, detalha Anna Carolina Vieira.

Tecnologia e acessibilidade – A novidade, agora, é que a Coleção Arthur Azevedo será ainda mais acessível aos diversos públicos, com o uso de novas tecnologias como QR Code e audiodescrição. “A nossa exposição, por determinação da primeira-dama Larissa Brandão, deverá necessariamente ser uma exposição acessível. Toda a parte que nós colocamos de novo acervo, fizemos de uma forma completamente acessível, com QR Code, com audiodescrição, então, ela é acessível para todos os públicos”, destaca a diretora Anna Carolina Vieira.

O retorno da pinacoteca de Arthur Azevedo ao Palácio em 2003 também marcou a reabertura da visitação pública aos Salões Nobres do Palácio dos Leões que, hoje, permanece com funcionamento ampliado e em caráter permanente. Com cerca de 90 mil visitantes por ano, o Museu do Palácio dos Leões é uma das casas de cultura mais visitadas do Nordeste brasileiro.

“Nós já temos o acesso de milhares de pessoas. Todos os meses alunos e turistas visitam o espaço. É importante que você venha conhecer no Palácio dos Leões, fazer uma visita e tomar conhecimento sobre a nossa história que é muito bonita e a gente tem um prazer de ter vocês aqui na nossa casa, o Palácio dos Leões, a casa do povo”, sublinhou o governador Carlos Brandão, durante visitação ao acervo.

A exposição “20 anos de Arthur Azevedo, 20 anos de (Re)Visitação” estará aberta ao público no horário normal de funcionamento do Museu do Palácio dos Leões, que é de terça a domingo, de 9h às 17h.

Sobre o Museu – A ala de visitação do Museu do Palácio dos Leões apresenta ao público os salões nobres com exposições permanentes de obras que datam dos séculos XV ao XX. Mobiliários, telas, porcelanas, esculturas, pratarias e gravuras são algumas das peças encontradas durante a visitação mediada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui