Federação do Comércio realiza evento para orientar empresários sobre eSocial

0
507

A Federação do Comércio promoveu nesta terça-feira (12), o Fórum Empresarial “Mudanças na rotina das empresas com o eSocial”, que reuniu cerca de 150 empresários e contadores maranhenses. O objetivo foi debater a complexidade da implantação do eSocial e as alterações administrativas nas empresas com essa nova obrigação, que passa a valer de forma definitiva a partir do mês de julho deste ano,

De acordo com o vice-presidente da Fecomérico, Marcelino Ramos Araújo, o evento buscou proporcionar um espaço de discussão, orientação e esclarecimento de dúvidas sobre a nova ferramenta. “Sendo um novo sistema de registro digital, o eSocial é também um novo momento na relação entre empregadores, empregados e governo. Entendemos que o eSocial propõe facilitar a comunicação com os entes públicos, impedir erros de recolhimento, reduzir obrigações acessórias e diminuir até mesmo os custos das empresas”, destacou o vice-presidente.

Na ocasião, o auditor fiscal do Trabalho Nauro Costa Muniz proferiu a palestra “Impactos, desafios e perspectivas do eSocial”, destacando o cenário atual e as mudanças com a implantação da nova ferramenta, que deve provocar o aumento da exposição a situações irregulares, o cumprimento dos prazos, a mudança da cultura organizacional e a implementação de novas rotinas de governança e compliance.

Além disso, o especialista apresentou os manuais de orientação, tabelas e leiautes do eSocial, assim como o cronograma e o processo de implantação e de cadastro inicial. “A nosso debate foi, principalmente, sobre os desafios das empresas com a implantação do eSocial. É um processo novo e requer um esforço de compreensão das novidades e alterações. A partir de uma sinergia entre trabalhadores, empresários, recursos humanos e contadores, será possível atingir a curto e médio prazo o nível de satisfação proposto por esse sistema”, explicou o Auditor Fiscal do Trabalho.

Informação – O eSocial consolida as obrigações acessórias da área trabalhista em uma única entrega, eliminando uma série de informativos enviados atualmente pelas empresas a vários entes do governo, como a GFIP (Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações as Previdência Social), o CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), a RAIS (Relação Anual de Informações Sociais), a GPS (Guia de Previdência Social) e a DIRF (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte). Assim, possibilita aos órgãos participantes do eSocial, a sua efetiva utilização para fins previdenciários, fiscais e de apuração de tributos.

Idealizado para simplificar as informações que são prestadas atualmente, o eSocial busca garantir o direito dos trabalhadores, dinamizar o cumprimento das obrigações pelos empregadores, reduzindo custos e a informalidade, além de qualificar as informações prestadas ao estado. Estima-se que o sistema terá a participação de mais de 8 milhões de empresas, além de 80 mil escritórios de contabilidade.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação