Festival Palco Giratório vem pela primeira vez ao Maranhão no mês de setembro

10

Apresentações no Teatro Sesc, Teatro João do Vale, Teatro Arthur Azevedo, Auditório do Sesc e Praia Grande

O Maranhão recebe, no período de 16 a 28 de setembro, pela primeira vez o Festival Palco Giratório com apresentações de espetáculos locais e nacionais, intercâmbios entre grupos, pensamentos giratórios e oficinas nas cidades de São Luís, Caxias e Itapecuru-Mirim. Serão 21 espetáculos, sendo dezessete nacionais e quatro locais, com representatividade de todas as regiões brasileiras, nas linguagens de circo, teatro e dança.

As apresentações ocorrerão no Teatro Sesc, Teatro João do Vale, Teatro Arthur Azevedo, Auditório do Sesc e Praia Grande.

Em sua 26ª edição, o Palco Giratório se perpetua como o maior e mais longevo projeto de circulação nacional de espetáculos e coletivos cênicos, sendo reconhecido no cenário cultural brasileiro como um importante projeto de difusão e intercâmbio das Artes Cênicas.

O Palco Giratório deste ano traz espetáculos de diversas temáticas, que retratam importantes questões em debate na sociedade, como a musicalidade, a intergeracionalidade, a negritude, a acessibilidade e a inclusão. O circuito também destaca o trabalho de Amir Haddad e Maurício Tizumba, artistas que contribuem para o cenário das artes cênicas brasileiras há mais de meio século.

O projeto Palco Giratório traz de volta o Circuito Especial, homenageando duas grandes personalidades do teatro brasileiro: Amir Haddad / Grupo Tá na Rua, com o espetáculo “Zaratustra” – RJ, e Maurício Tizumba – MG, vencedor do prêmio Shell (2024), com o espetáculo “Herança” – RJ.

“A decisão de colocar no centro da 26ª edição do projeto os atores e diretores mineiros Amir Haddad e Maurício Tizumba está alinhada com a busca por diversidade nas ações do Sesc. Ambos são duas referências do teatro e da música brasileira e também foram homenageados pelo 34ª Prêmio Shell de Teatro”, destaca Janaina Cunha.

Amir Haddad,tem 86 anos de vida e 66 de carreira. Dirigiu grandes nomes da arte brasileira, como Marieta Severo, Andreia Beltrão e Letícia Spiller e é o fundador do Grupo de Teatro Tá na Rua, com o qual se apresenta no circuito. A peça “Zaratustra: uma transvaloração dos valores” nasceu da relação de Haddad com o personagem Zaratustra escrito pelo filósofo Friedrich Nietzsche.

Maurício Tizumba é ator, compositor, cantor, multiinstrumentista, diretor musical e capitão de congado. Sua trajetória artística baseada no diálogo entre diversas linguagens e entre a arte e as manifestações populares tradicionais da cultura afro-brasileira. Tizumba vai se apresentar com “Herança”, que retrata a busca e o resgate da herança cultural afro-brasileira como bússola para a diáspora negra.

O Palco Giratório também traz ao público em sua programação outros grandes nomes da cultura brasileira. O espetáculo “Leci Brandão”, com o Grupo Lapilar Produções Artísticas (RJ), vencedor do Prêmio Shell 2024 na categoria direção, conta a trajetória da sambista carioca em um musical a partir das histórias de seus orixás. O espetáculo abre o Festival Palco Giratório no Maranhão no dia 13 de setembro. Outro espetáculo confirmado é “Maria Firmina”, do Núcleo Atmosfera (MA), faz uma releitura sobre a vida e obra da primeira mulher negra a escrever um romance no Brasil.

As crianças também são contempladas no circuito. A opereta infantojuvenil “Cabelos Arrepiados”, da companhia Buia Teatro de Manaus, é um exemplo. Premiado como Melhor Grupo de Teatro do Brasil em 2022, o grupo traz um espetáculo inspirado na literatura fantástica de autores como Edgar Allan Poe e Tim Burton. O circo também está representado na circulação com espetáculos como “Mar Acá”, do Grupo Locômbia Teatro de Andanças, formado por atores colombianos que vivem em Roraima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui