Flamengo e Independiente Santa Fé ficam num empate sem gols em Bogotá

0
441

O Flamengo e Independiente Santa Fé ficaram num empate sem gols, nesta quarta-feira (25), em partida realizada em Bogotá (Colômbia), pela Copa Libertadores da América. O time rubro-negro voltou a mostrar muita dificuldade na criação, sofreu diante de um adversário também pouco inspirado e teve que se contentar com apenas mais um ponto no Grupo D da Libertadores.

Como na semana passada, quando empatou por 1 a 1 com o mesmo rival no Maracanã, o Flamengo apresentou muitos erros. Os 2.640 metros de altitude também fizeram diferença e em nenhum momento o time brasileiro pareceu se equiparar na parte física ao Santa Fe. Diante do que foi exibido nos 90 minutos, o empate ficou de bom tamanho para os comandados do interino Maurício Barbieri.

O treinador, aliás, terá muito trabalho nos próximos dias para corrigir alguns velhos defeitos flamenguistas. Diego voltou a ficar muito abaixo do esperado, Henrique Dourado pouco recebeu a bola no ataque e, mais uma vez, Lucas Paquetá foi o único foco de criatividade no setor ofensivo.

Com o empate, o Flamengo foi a seis pontos, na liderança da chave, um à frente do River Plate, que encara o Emelec na quinta, em casa. O Santa Fe vem logo atrás, em terceiro, com quatro. Na próxima rodada, o time rubro-negro recebe o Emelec no Maracanã, finalmente com torcida, no primeiro jogo após o fim da punição da Conmebol.

Nesta quarta, o Flamengo começou tentando buscar o jogo pela direita e Paquetá era o foco do ataque. Nos primeiros minutos, deu bom passe para Rodinei, que cruzou para a área, mas Henrique Dourado chegou atrasado. E foi só. O time rubro-negro voltou a exibir os mesmos problemas de criação e virou presa fácil para a marcação do Santa Fe.

Do outro lado, os colombianos abusavam da velocidade pelos lados, principalmente com Arboleda pela direita. Aos 10, Javier López aproveitou cruzamento da direita e cabeceou rente ao travessão. Gordillo também tentou de longe, mas parou em Diego Alves.

O jogo pouco empolgava. Sem criação de ambos os lados, o Santa Fe tentava pelo alto, e quase abriu o placar aos 33. Pajoy cobrou falta da direita, a bola passou por todo mundo e Morelo chegou na segunda trave para desviar, praticamente sem goleiro. Mas o atacante não atingiu a altura necessária e falhou ao tentar dar direção.

O Santa Fe voltou para o segundo tempo disposto a abusar das jogadas pela direita e só não marcou logo aos oito minutos porque Rodinei impediu que o passe de Arboleda encontrasse Morelo, com Diego Alves já batido.

O time da casa esboçava uma pressão. Arboleda tentou de novo pela direita e Rodinei, novamente, estava esperto para cortar. Aos 11, Gil ficou com sobra na entrada da área e cabeceou sozinho no meio da área, por cima.

Mas o ímpeto do Santa Fe foi caindo, o time demonstrou cansaço e o domínio se tornou apenas territorial. O Flamengo apostava no contra-ataque e, por isso, Barbieri tirou o inoperante Henrique Dourado para colocar Geuvânio.

Não deu certo. Os donos da casa seguiram em cima e só não tiraram o zero do placar porque o chute de Plata aos 47 minutos passou rente ao travessão. No último lance, Geuvânio ainda finalizou para a rede, mas segundos depois do apito final do árbitro, o que gerou muitas reclamações.

(Com dados do Futebol do Interior)

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação