Flávio Dino diz que derrotar Bolsonaro não é tarefa de muitos, mas de todos

1
444

Governador prega união de socialistas, petistas, comunistas…

Ao discursar na manhã desta terça-feira (22), em Brasília (DF), após assinar ficha de filiação ao PSB, o governador do Maranhão, Flávio Dino, pregou união dos partidos oposicionistas para derrotar Jair Bolsonaro na eleição de 2022. Ele iniciou sua fala comemorando “o delicioso sabor do encontro e do reencontro” que a filiação ao PSB traz.

Assim como o deputado Marcelo Freixo, do Rio de Janeiro, que também se filiou ao PSB, o governador frisou a importância das eleições de 2022 e de uma ampla união de partidos a favor da democracia. Para Dino, derrotar Bolsonaro “não é uma tarefa para poucos, nem para muitos, é tarefa de todos. Temos que nos unir”.

“O momento atual exige muito da militância patriótica e socialista do Brasil, a eleição de 2022 não é uma eleição qualquer, não é uma a mais, é uma batalha fundamental em torno de tudo que conseguimos concretizar, plasmado na Constituição de 1988. A eleição de 2022 é um pleito entre os que querem a continuidade da democracia e os que querem o extermínio e destruição da nação”.

Flávio Dino cumprimenta o deputado federal Marcelo Freixo, que também assinou ficha do PSB

O governador finalizou sua fala pedindo uma quebra de preconceitos e resistências para que a democracia possa prevalecer.

“Venho modestamente trazer uma palavra de uma união ampla, união entre comunistas, socialistas, trabalhistas, lulistas, petistas, liberais progressistas, católicos e evangélicos progressistas e sobretudo os que não tem opinião política, é com eles que temos que falar acima de tudo”.

Reencontro – Flávio Dino disse que estar no partido de João Mangabeira, Miguel Arraes, Evandro Lins e Silva, Hermes Lima, Evaristo Moraes Lima, para ele, como advogado, é uma honra.

“Condenso em mim traços característicos do nosso Estado, meio Amazônia, meio Nordeste. E na Amazônia, o PSB sempre atuou com muita força, quero homenagear o ex-governador João Capiberibe, Camilo Capiberibe e todos aqueles que se juntaram à defesa da economia verde como pressuposto fundamental do desenvolvimento do Brasil”, pontuou.

Ao lembrar nomes ilustres do partido e relembrar que seu “namoro” com o PSB já dura 10 anos, Dino citou sua amizade com Eduardo Campos: “Gostaria que minha ficha de filiação fosse abonada pelo meu querido amigo e governador Eduardo Campos que esteve inúmeras vezes conosco no Maranhão, por isso, estar no PSB é uma forma de homenagear a memória, a trajetória e a vitória de Eduardo”.

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

1 COMENTÁRIO

  1. Tudo ocorrendo dentro do mais absoluto esperado. Homens soberbos de todas as espécies,fazendo suas alianças com o objetivo único de chegar ao poder,ignorando que existe um SER soberano,cujo filho é Rei,e que segundo o livro de Daniel capítulos 4 e 5;”…a um abate e a outro exalta…”eles não aprendem nem consideram o ocorrido em 2018,seguem com seus planos contrários à vontade da maioria da população brasileira,e quando se dão conta,lá está, o impossível o improvável,o que as elites não esperavam,o inacreditável,bem diante dos seus olhos:”Bolsonaro,eleito PRESIDENTE do Brasil “

Comments are closed.