Governador diz que herdou problemas na Secretaria de Saúde

0
805
AQUILES EMIR
O governador Flávio Dino (PCdoB) expediu nesta sexta-feira (17) uma nota em que se defende dos efeitos da Operação Pegadores da Polícia Federal, desencadeada quinta-feira (16) em desdobramento da Operação Sermão aos Peixes, para investigas desvios de dinheiro na Secretaria de Saúde. Na nota, o governador diz que está aguardando a lista dos 400 supostos funcionários fantasmas da SES a fim de tomar as providências.
Num dos trechos, Flávio Dino ataca a família da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), num suposição de que atribui a ela a investigação da PF. “Quanto à oligarquia Sarney/Murad, falta-lhes condições mínimas para falar em moralidade. Que cuidem dos seus problemas na Polícia e na Justiça. São muitos”.
No encerramento, o governador diz que não tem nenhum envolvimento com Justiça e Polícia. “E assim continuarei”, diz ele.
Apesar da Polícia Federal ter assegurado que todos os crimes investigados têm origem em janeiro de 2015, ele voltou a repetir, a exemplo da operação da mesma PF de junho, que trata-se de um problema herdado pela sua gestão. “O modelo que herdamos foi que originou as operações da Polícia Federal. Não se desmonta isso em semanas ou meses, sobretudo em um serviço que não pode parar, como a saúde”, justificou.
Eis a íntegra da nota:
Desde 2015 estamos corrigindo problemas graves que herdamos na saúde. Implantamos processos seletivos para contratação de pessoal, o que jamais havia sido feito antes.
Criamos quadro efetivo para concurso público na Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares. Estamos aprimorando quadro de auditores na saúde, com seletivo específico.
Jamais compactuamos com qualquer má aplicação de recursos públicos. Sempre tomamos todas as providências administrativas quando erros foram detectados.
O modelo que herdamos foi que originou as operações da Polícia Federal. Não se desmonta isso em semanas ou meses, sobretudo em um serviço que não pode parar, como a saúde.
Quanto à lista dos 400 fantasmas que a Polícia Federal menciona, já requeremos formalmente os nomes, para tomar providências administrativas. Estamos esperando a lista.
Por minha orientação, todas as nossas equipes estão sempre à disposição para colaborar com investigações sérias e isentas.
Repito, estamos esperando a lista dos alegados 400 fantasmas, para verificar se isso procede, quem foi o responsável, em qual época e por qual motivo.
Quanto à oligarquia Sarney/Murad, falta-lhes condições mínimas para falar em moralidade. Que cuidem dos seus problemas na Polícia e na Justiça. São muitos.
Desde 2015, é esse desespero de me nivelar a eles, para dizer que “nada mudou”. Mas o fato objetivo é que não tenho nenhum problema pessoal na Polícia ou na Justiça. E assim continuarei.
Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação