Flávio Dino e Daniela Carneiro devem ser convocados a depor na Câmara

148

GIRO ECONÔMICO 

Convocação de ministros de Lula 

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, e a ministra do Turismo, Daniela Carneiro, poderão ser convocados a depor na Câmara Federal para explicarem duas das primeiras polêmicas do governo Lula.

Ambas as convocações deverão ser apresentadas pelo deputado Eduardo Bolsonaro, filho do ex-presidente Jair Bolsonaro.

O primeiro deverá ser alvo de investigação por ter anunciado que pode trazer policiais de outros países para cumprir ordens judiciais brasileiras, se houver desobediência de policiais brasileiros.

A segunda por supostas ligações com milicianos da Baixada Fluminense.

https://twitter.com/BolsonaroSP/status/1611766074864812034?t=JS2yhWfOxs5qFwUv–iB_g&s=09

Brandão condena atos em Brasília 

O governador Carlos Brandão (PSB) usou as redes sociais na tarde deste domingo (08) para comentar aa manifestações em Brasília que resultaram nas invasões das sedes dos três poderes.

Para ele, a manifestação não faz sentido, pois “não há como mudar à força um governo legitimamente eleito”, lembrando que este é mais um absurdo de extremistas.

“Mais um grande absurdo de extremistas que não aceitam o resultado das urnas. Invadir o Congresso Nacional é crime. Não há como mudar à força um governo legitimamente eleito. Não tenho dúvida de que serão responsabilizados por esses atos”, disse ele.

Alexandre de Moraes promete punição a  atuais e anteriores agentes públicos 

Na postagem feita no seu Twitter sobre os atos deste domingo (08) em Brasília (DF), o ministro do STF Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), fala em punição de atuais agentes públicos. Confira:

“Os desprezíveis ataques terroristas à Democracia e às Instituições Republicanas serão responsabilizados, assim como os financiadores, instigadores, anteriores e atuais agentes públicos que continuam na ilícita conduta dos atos antidemocráticos. O Judiciário não faltará ao Brasil!”, disse ele.

Título de cidadão revogado

O deputado Othelino Neto, presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, revogou neste domingo (08) a concessão do título de Cidadão Maranhense concedido ao ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Anderson Torres, exonerado da Secretaria de Segurança do Distrito Federal.

Othelino não justifica a medida, mas tudo indica que esteja relacionada aos atos de invasão às sedes do Executivo, Legislativo e Judiciário.

O ex-secretário é suspeito de ter facilitado o acesso de manifestantes à Praça dos Três Poderes.

Eis a resolução:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui