Flávio Dino teria apenas 02% de votos entre eleitores que simpatizam com a Operação Lava Jato

0
264
Flávio Dino tenta relacionar diversas mortes com os tempos de treva"

AQUILES EMIR

Se na eleição presidencial de 2022, apenas eleitores simpáticos à Lava Jato e que consideram positivo o resultado, até aqui, de suas investigações, e o governador Flávio Dino (PCdoB) fosse candidato, ele teria apenas 02%, e ficaria em último lugar, enquanto na outra ponta, Jair Bolsonaro (sem partido) seria votador por 40%.

Se da eleição participassem somente os eleitores que acham positiva a ação da Lava Jato e que fez a coisa correta, o governador do Maranhão receberia apenas 02%, e na liderança, Bolsonaro teria 40%.

Os números são de uma pesquisa do PoderData, divulgada nesta sexta-feira (14) pelo portal Poder360, que usou como mote para seu questionário a visão dos eleitores sobre os efeitos da Lava Jato, que teve o ex-juiz e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio, Moro como um dos principais protagonistas.

De acordo com a pesquisa, Bolsonaro lidera tanto entre que acham que a operação foi importante para combater a corrupção, mas ultimamente tem cometido abusos de autoridade, quanto entre aqueles que consideram o trabalho da Lava Jato importante e fez um trabalho correto. No primeiro grupo, ele teria 43% e no segundo, 40%.

Veja os números obtidos entre os que acham que a Lava Jato cometeu exageros:

  • Jair Bolsonaro – 43%
  • Fernando Haddad – 23%
  • Ciro Gomes – 10%
  • João Doria – 05%
  • Flavio Dino – 03%
  • Sergio Moro – 03%
  • Henrique Mandetta – 02%
  • Branco e nulo, 09%, e não sabem, 02%

Veja os números obtidos entre os que acham que a Lava Jato fez a coisa certa:

  • Jair Bolsonaro – 40%
  • Sergio Moro – 15%
  • Fernando Haddad – 06%
  • Henruque Mandetta – 06%
  • Ciro Gomes – 05%
  • João Doria – 05%
  • Flavio Dino – 02%
  • Branco e nulo, 15%, e não sabem, 06%

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, do Poder360. Os dados foram coletados de 3 a 5 de agosto, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 512 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

(Com informações do Poder360)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação