Gleisi Hoffmann acusa Jair Bolsonaro de estimular a violência

0
645

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) acusou o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro de ser o responsável pela “onda de violência” na política brasileira. Ela citou uma série de agressões e mortes que estariam associadas a apoiadores do candidato do PSL. Para a senadora, Bolsonaro “simboliza a violência, a crueldade, a barbárie” e, dessa forma, libera práticas que considera “nefastas e violentas” a seus eleitores.

“Agora são os homossexuais, são os gays, a população LGBT, as mulheres; daqui a pouco, será a população negra; daqui a pouco, será a população mais pobre; e, daqui a pouco, serão aqueles que divergirão das suas ideias, porque com quem não tem causa e projeto não tem discussão”.

Além de dizer que Bolsonaro é “a fraude em pessoa” que levará o Brasil ao “precipício”, Gleisi acusou o candidato de beneficiar-se da distribuição orquestrada de mentiras pela internet, de receber patrocínio estrangeiro ilegal e de usar as redes para disseminar “orientações de violência”.

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa extraordinária. Em discurso, senadora Ana Amélia (PP-RS). Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

Veneno – Já a senadora Ana Amélia (PP-RS), que foi vice na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que o “PT está provando do seu próprio veneno” ao se dizer vítima de uma onda de fake news na campanha eleitoral. Ela lembrou que antes das eleições deste ano o próprio PT se negou a assinar um acordo junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para evitar a ocorrência desse fenômeno, que de acordo com a senadora afeta os dois lados da luta política.

A parlamentar, que já se pronunciou a favor de Bolsonaro, repudiou a ameaça feita, através de mensagem virtual, à presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Rosa Weber, no caso de derrota do candidato. Ana Amélia lembrou também o atentado sofrido por Bolsonaro em Juiz de Fora (MG), ressaltando ter sido esse foi o mais grave ato de violência ocorrido no processo eleitoral.

Por último, destacou a importância de que o país se unifique e pacifique após as eleições e citou um artigo da jornalista Miriam Leitão sobre o clima de confronto e de fake news existente. “Mas o PT errará de novo se acreditar que foram as mentiras que criaram o problema atual. Foram as verdades que ele, PT, não tem conseguido encarar”.

(Com dados da Agência Senado)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação