Gráfico postado por Flávio Dino mostra que pandemia vinha em queda até as eleições municipais

0
615
Duarte Júnior em carreata pela cidade, apostando numa virada na reta final, para lhe favorecer

Durante a campanha, vírus foi convidado a voltar para contaminar o povo

AQUILES EMIR

O governador Flávio Dino (PCdoB) publicou nesta quarta-feira (24) nas redes,  como ilustração de um comentário sobre as 300 mil mortes por covid-19 no Brasil, um gráfico curioso em que a situação do país é comparada com a realidade dos Estados Unidos e do Reino Unido. Enquanto nestas nações pandemia está em declínio, no Brasil cresce assustadoramente.

Embora o governador não faça nenhuma menção a isso, o gráfico mostra que entre setembro e novembro de 2020 as mortes por coronavírus estavam em queda vertiginosa no Brasil, mas veio o período eleitoral, e a curva começou a subir, até que em fevereiro ultrapassou EUA  e UK, o que comprova o quanto foi equivocada a autorização da eleição.

Durante o período da campanha, foram realizados comícios, carreatas, caminhadas e uma série de outros eventos que provocaram aglomerações. Pelo menos três candidatos a prefeito – Carlos Madeira (Solidariedade), Duarte Júnior (Republicanos) e Rubens Júnior (PCdoB) – e uma a vice – Professora Esmenia (Podemos), a eleita – foram infectados, além de assessores e candidatos a outros cargos.

Apesar dos riscos que foram a campanha e a eleição, em nenhum momento houve pregação para conter as massas. Na mesma semana de contagem dos votos, começaram os alertas sobre a volta da doença, e isto iria ocorrer com as festas de Natal e Ano Novo, bem como o pré Carnaval.

Paralelo a essas ocorrências de atração para o retorno do vírus, autoridades se gabavam de terem feito. Com a chegada da segunda onda, a culpa passou a ser de outros, melhor ainda se adversários. Além disso, as mortes de hoje se devem a único dato: atraso no início da vacinação.

Veja o gráfico publicado por Flávio Dino:

Saiba o que disse o governador sobre o atual momento da pandemia:

Esse é o triste retrato de onde uma política genocida colocou o Brasil. O mundo se livrando do coronavírus, enquanto que, na nossa pátria, irresponsáveis não se arrependem e não abandonam o caminho da insanidade”.

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação