Guerra de preços provoca fechamento de 25 postos de combustíveis

5
8649

AQUILES EMIR

De janeiro a maio deste ano, cerca de 25 postos de revenda de combustíveis fecharam em São Luís e a guerra de preços, que contribuiu para uma queda significativa nos preços, principalmente da gasolina, pode ter sido o principal fator dessa quebradeira. A informação é do empresário Leopoldo Santos, proprietário da Rede Natureza e que é sondado para ser o novo presidente do Sindicato dos Distribuidores de Combustíveis (Sindcombustíveis), cuja eleição terá sua data definida nesta segunda-feira (14).

De acordo com o empresário, muitas empresas não suportaram a guerra de preços e foram desativadas ou então alugaram seus pontos de venda, porém quem aluga nem sempre consegue se manter e o resultado é este. Leopoldo alerta que outros 20 estão na corda bamba e podem fechar a qualquer momento.

O efeito disto é aumento do desemprego, queda na arrecadação de tributos pelo Estado e outros danos, pois são afetadas também as transportadoras, os fornecedores das lojas de conveniência e tudo o mais que gira em torno de uma empresa. Ele estima que cerca de 300 postos de trabalho podem ter sido desativados com essa quebradeira.

O empresário diz que, infelizmente, o mercado está contaminado por maus empresários, que fizeram uma concorrência nociva, não atendando para as consequências disso, pois qualquer pessoa que analisa o preço na distribuidora (média de R$ 3,57) e o praticado nas bombas (média de R$ 3,78 em São Luís) verificará que alguma coisa está errada, pois a margem de ganho está sendo de apenas R$ 0,21.

De acordo com a Agência Nacional de Petróleo (ANP), Brasil tem um preço médio de R$ 4,22 o litro da gasolina, no Maranhão essa média fica em R$ 3,91, mas em São Luís há postos em que ela é vendida até por R$ 3,65, quase R$ 0,60 a menos da média nacional.

Locação – Para Leopoldo Santos, a opção pelo aluguel do seu ponto de venda é uma estratégia mais cômoda, pois o empresário passa a ter uma renda fixa sem enfrentar os transtornos do mercado. O aluguel de um posto fica, na média, por R$ 15 mil, e muitos imaginam que é possível ganhar dinheiro suficiente para cobrir as despesas com energia, salários de empregados, impostos etc, remunerar o proprietário e ainda obter bom lucro, o que nem sempre ocorre.

São Luís tem uma outra situação atípica nesse tipo de comércio, diz o empresário. Uma das principais distorções é o excesso de postos próximos uns dos outros, o que até pouco tempo atrás não era permitido, e isto favorece uma guerra de preços. Num trajeto de três quilômetros é possível encontrar mais de quatro postos e certamente não há mercado para todos.

O empresário entende que o Sindicato não pode fazer muito para corrigir isto, pois o mercado é livre. Ele gostaria, no entanto, que cada revendedor passasse a fazer seus cálculos com mais atenção a fim de verificar se está realmente empreendendo ou apenas tumultuando o mercado. Para ele, a situação é confortável para o consumidor, mas isto pode ter um desfecho nada agradável para a economia do estado.

Veja na tabela abaixo o preço de combustíveis no Maranhão, segundo levantamento da ANP entre os dias 28 de abril e 05 de maio:

MUNICÍPIO Nº DE POSTOS
PESQUISADOS
Preço ao Consumidor Preço Distribuidora
PREÇO MÉDIO DESVIO PADRÃO PREÇO MÍNIMO PREÇO MÁXIMO MARGEM MÉDIA PREÇO MÉDIO DESVIO PADRÃO PREÇO MÍNIMO PREÇO MÁXIMO
Acailandia 8 4,136 0,099 3,950 4,239 0,433 3,704 0,049 3,647 3,738
Bacabal 4 4,008 0,051 3,950 4,050 0,419 3,589 0,000 3,589 3,589
Balsas 7 4,259 0,156 3,997 4,420 0,632 3,627 0,137 3,530 3,724
Barra do Corda 4 4,107 0,029 4,089 4,150 0,544 3,563 0,000 3,563 3,563
Caxias 7 4,083 0,070 3,970 4,199 0,450 3,633 0,131 3,540 3,725
Codo 5 4,354 0,013 4,330 4,360 0,795 3,559 0,000 3,559 3,559
Imperatriz 13 4,004 0,045 3,920 4,099 0,338 3,666 0,016 3,654 3,677
Pinheiro 4 4,088 0,010 4,080 4,100 0,474 3,613 0,110 3,543 3,740
Presidente Dutra 3 4,149 0,000 4,149 4,149 0,558 3,591 0,009 3,585 3,598
Santa Ines 6 4,134 0,084 4,039 4,259 0,520 3,614 0,000 3,614 3,614
Sao Jose de Ribamar 10 3,779 0,073 3,649 3,899 0,238 3,541 0,064 3,496 3,587
Sao Luis 49 3,789 0,079 3,639 3,899 0,262 3,527 0,030 3,483 3,588
Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

5 COMENTÁRIOS

  1. (Corrigido)
    Combustível barato? Onde? Impressionante, que em nenhum momento foi falado no quanto está difícil para o consumidor pagar 3,78 por litro de gasolina quanto mais ainda aumentar para 4,20! Por dia, quem não abastecer seu carro com 60,00 não roda. Esse pelo menos tem sido meu custo/dia no mínimo. Senhores empresários em vez de lutarem pelo aumento, aproveitem para lutar pelo fim dos impostos abusivos que nós brasileiros pagamos nesse país. Pelo incentivo a industria do álcool que é tecnologia nossa mas que não vai pra frente e não é incentivada e se fosse nos libertaria economicamente dessa dependência do mercado extrangeiro. Lutem por soluções e não por um estrangulanento ainda maior da população brasileira que não aguenta mais pagar esses absurdos! Gasolina no país quase 5 reais e ninguém faz nada? Aonde vamos parar?

    • Poliene, reclamar com o governo que cobra metade do valor de litro de gasolina em impostos ou com os árabes (o barril saiu de 60 dólares para 75 no uliginoso mês).

  2. O cara ainda nem assumiu o posto de presidente e já tá pensando em aumentar o valor do combustível!
    Kkkkkkkkk
    Eita Maranhão
    Eita jornalistas
    Eita patrões

    • Eita burrice!!! Imagine que o posto venda 200.000 litros. Com 0,20 centavos de margem, ele tem um lucro bruto de 40.000,00. A despesa de qualquer postinho é 60.000,00. Então vai fechar. Vc está reclamando das pessoas erradas. A gasolina é cara pq mais da metade é imposto.

  3. Podem ficar tranquilos, pois a quebradeira vai só aumentar! Não tem mercado pra dono de postos e nem dinheiro nosso que aguente um combustível tão “barato”. Vou pro serviço de bike. Espero que não me assaltem ou se assaltarem que não me matem. Nossa cidade é muito segura.

Comments are closed.