Histórias da cultura maranhense compõem programação virtual dos Centros Culturais do BNB

0
284

A apresentação maranhense terá início às 17h, no canal Centro Cultural Banco do Nordeste no Youtub

Mais uma semana da programação virtual dos Centros Culturais Banco do Nordeste inicia nesta quarta-feira (07), com histórias lendárias da cultura maranhense. O espetáculo “Maranhão de Encantos”, do Núcleo de Produção Teoria das Artes, traz a narrativa que abrange temáticas sociais, valorizando a cultura popular do Maranhão, como a saga de “Pai Francisco” e “Mãe Catirina”. A apresentação maranhense terá início às 17h, no canal Centro Cultural Banco do Nordeste no Youtube.

A programação desta semana contará ainda com as atrações de artes cênicas “Tempo para refletir”, “Ogroleto em casa” e “Histórias fazer voar: o preparo do narrador oral”. No decorrer da semana, será a vez das artes visuais, música e atividades infantis completarem a programação virtual dos Centros Culturais Banco do Nordeste.

Semanalmente, a programação é exibida a partir das 16h, reunindo grupos e artistas individuais de nove estados do Nordeste e do norte de Minas Gerais. As atrações são de classificação livre, compostas por 120 projetos selecionados via edital de chamada pública nas modalidades “Performance artística” e “Formação”.

Confira a programação de 7 a 10 de outubro:

Quarta-feira (07) – Artes cênicas

  • 16h – Tempo para refletir – Geovan da Conceição (João Pessoa, Paraíba) – Série de vídeos com mensagens sobre sentimentos, sonhos, criatividade e dança. No experimento, o bailarino Geovan da Conceição compartilha com o público sua história, trazendo reflexões sobre dificuldades e conquistas ao trilhar a jornada da dança. O artista realiza um paralelo entre esses elementos e as mudanças nas relações humanas em virtude do isolamento social.
  • 17h – Maranhão de Encantos – Núcleo de Produção Teoria das Artes (São Luís, Maranhão) – Narração de histórias lendárias da cultura maranhense, como a saga de “Pai Francisco” e “Mãe Catirina”, personagens do bumba meu boi. Na atração, o Núcleo de Produção Teoria das Artes faz alusão à cultura popular do estado e também aborda temas como valorização da mulher no espaço social e intolerância religiosa.
  • 18h – Ogroleto em casa – Grupo Pavilhão da Magnólia (Fortaleza, Ceará) – História de uma criança que aprende a aceitar suas diferenças ao descobrir que não é igual às outras. Ogroleto lida com a frustração, com o sentimento de inadequação e com a dificuldade de adaptação que envolvem essa descoberta. O texto original da peça é da dramaturga canadense Suzanne Lebeau e a direção é de Miguel Vellinho da Cia de Teatro de Animação PeQuod do Rio de Janeiro.
  • 19h – Histórias fazer voar: o preparo do narrador oral – Tâmara Bezerra (Orós, Ceará) – Minicurso de preparação para contadores de histórias. Utiliza recursos capazes de ampliar os campos expressivos e de evitar carência de significados nas narrativas.

Quinta-feira (08) – Artes visuais

  • 16h – Entre paredes – Lia Vieira (Juazeiro do Norte, Ceará) – Vídeo-performance que propõe experimentar a dilatação do tempo, pausas e silêncio. Um contraponto às infinitas informações a que estamos submetidos constantemente. Convida à observação de conexões poéticas.
  • 17h – Transferência de estilo neural para geração de arte – Marllus de Melo Lustosa (Fortaleza, Ceará) – Minicurso sobre processo criativo que apresenta o conceito de transferência de estilo neural, técnica de Inteligência Artificial utilizada na produção de ilustrações digitais. Na aula, o expectador terá acesso a todas as fases necessárias para utilizar esse método por meio de uma plataforma gratuita.

Sexta-feira (09) – Música

  • 16h – Tocando em cada toca – Parahyba & Cia Bate Palmas (Fortaleza, Ceará) – Muita melodia e poesia no show virtual do coletivo Parahyba & Cia Bate Palmas, reunindo performances dos integrantes em suas casas e apresentando também trechos de espetáculos realizados antes da quarentena por Covid-19.
  • 17h – Magrelo Zambeta Dendí Casa – Renato Marinho (Santa Luzia, Paraíba) – Show dentro de casa apresentando músicas do álbum Magrelo Zambeta, de Renato Marinho, e um pouco de poesia. Gravado durante o período de isolamento social por covid-19, o repertório visa à valorização de elementos da cultura nordestina.
  • 18h – Cidade Dormitório Reimaginada – Cidade Dormitório (São Cristóvão, Sergipe) – Vídeo produzido, de forma remota, com exibições de músicas do mais recente álbum da banda Cidade Dormitório, “Fraternidade-Terror”, de 2019. No show, as canções serão apresentadas em versões “reimaginadas” a partir de beats eletrônicos.
  • 19h – O universo sonoro das bandas cabaçais – Vanildo Franco (Guaramiranga, Ceará) – Aula-espetáculo do artista Vanildo Franco sobre a sonoridade das bandas cabaçais na região do Cariri cearense, abordando características de suas formações instrumentais. Cada passagem será ilustrada com composições autorais, alternando entre melodias como benditos, rebatidas, quilombos e baiões.

Sábado (10) – Atividades infantis

  • 16h – Lá vem o sol – Rebeca Vieira (Aracaju, Sergipe) – Apresentação da música infantil “Lá vem o sol”, da cantora e professora Rebeca Vieira. A composição sugere atividades como estudar, dançar, brincar e cantar, estimulando a percepção e a criatividade das crianças, além de trazer elementos melódicos baseados no ritmo do reggae.
  • 17h – Oficina breaking kids – Bboy Aranha (João Pessoa, Paraíba) – Aula de breaking (hip-hop) voltada para crianças a partir dos quatro anos de idade. Serão realizadas sequências coreográficas com exercícios de aquecimento, alongamento e movimentos básicos da modalidade, utilizando materiais presentes em casa.
Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação