Homenagem a Pelé marca estreia do Santos no Campeonato Paulista neste sábado na Vila

45

Show de luzes lembram o eterno ídolo do Peixe

O torcedor que foi à Vila Belmiro, neste sábado (14) à noite, viu e participou de uma série de homenagens ao Rei Pelé, que morreu no último dia 29 de dezembro. No meio de um show de luzes, com os torcedores acendendo seus celulares, foi escrito no gramado a assinatura do ‘maior jogador de todos os tempos’, uma coroa e a expressão ‘1940-infinito’, ano de nascimento de Edson Arantes do Nascimento, na cidade mineira de Três Corações.

No centro do campo havia um trono gigante, que recebeu uma coroa das mãos de quatro ex-ídolos do clube: Manoel Maria, Lima, Edu e Clodoaldo. Eles reverenciaram a coroa elevando os braços e abaixando a cabeça três vezes. De repente apareceram no gramado duas enormes imagens de Pelé. Do lado esquerdo, ele comemorando um gol pela seleção brasileira. Do outro lado, Pelé com a camisa do Santos.

Nas arquibancadas, os torcedores usavam celulares para iluminar o campo todo apagado. Também portavam bandeiras com referências a Pelé e cantavam músicas e o hino do Santos.

Na camisa do Santos, muitas mudanças. Uma delas será adotada pelo clube, já que acima do símbolo ficará desenhada uma coroa em homenagem ao Rei do Futebol. Neste jogo, o símbolo de luto foi fixado no peito e nas mangas um patch de Pelé, além da tarja preta.

Especialmente neste jogo, os patrocinadores do clube tiveram suas marcas estampadas em branco, deixando a camisa branca e ‘limpa’ como era usada até os anos de 1970, quando não existiam as marcas nas camisas de futebol. Abaixo dos números agradecimentos ao ex-ídolo em diversos idiomas. Na camisa de Soteldo, por exemplo, que vestiu o número 10, estava: “Obrigado, Pelé”.

https://twitter.com/DoentesPFutebol/status/1614466884610449412?s=20&t=HB-xDiLIhrJiQIWt8mJj8g

A numeração de outros jogadores também foi diferente, numa combinação que sempre resultadia no número 10. O atacante Marcos Leonardo, por exemplo, tinha nas costas 9 + 1. Ele marcou o primeiro gol do Santos de pênalti, pegou uma fita de testa e comemorou socando o ar, um gesto marcado por Pelé.

Antes do jogo foram liberadas 1283 bexigas brancas, simbolizando os gols marcados por Pelé em sua carreira, que inclui a disputa de 18 vezes no Campeonato Paulista. Além do minuto de silêncio inicial, o jogo foi paralisado aos 10 minutos quando a torcida bateu palmas por um minuto.

Num camarote, Márcia Aoki, viúva de Pelé, se emocionou ao lado do presidente santista, Andres Rueda. Uma noite inesquecível.

A Federação Paulista de Futebol (FPF) instituiu o troféu Rei Pelé que vai ser entregue a todos os times campeões da temporada, tanto profissional, como nas categorias de base e feminino.

(Da FPF com foto de Bob Paulino/Agência Paulistão)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui