Jair Bolsonaro reúne multidão neste sábado em São Luís, onde encerra ciclo pela região Nordeste

246

É preciso falar de religião para garantir liberdade religiosa

Como último compromisso da passagem por capitais do Nordeste neste sábado, o presidente Jair Bolsonaro participou na noite deste sábado (15), do Encontro Neemias, organizado pela Assembleia de Deus, no Santuário Assembleiano de São Luis (MA), na zona rural da capital maranhense. O presidente repetiu o roteiro de críticas ao candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT), refez promessas e falou de religião.

Ao pedir votos na região onde teve o pior desempenho no primeiro turno das eleições, Bolsonaro citou uma passagem bíblica para dizer que os fiéis são responsáveis por suas “ações e omissões”.

Bolsonaro lembrou que en 2019, quando assumiu a Presidência da República, o Brasil enfrentava sérios problemas  de ordem ética, moral e econômica, e depois das primeirsd medidas para colocar o Brasil no rumo do desenvolvimento veio a pandemia de covid-19, e mais uma vez “fizemos a nossa parte”.

Bolsonaro lembrou que nenhum governador comprou uma dose de vacina sequer, todas as mais de 500 milhões de doses, foram adquiridas pelo governo federal. Ele ressaltou ainda que após a pandemia, o Brasil foi afetado por outros problemas externos, como a Guerra da Rússia com a Ucrânia, mas o governo vem garantindo um auxílio acima de R$ 600 para as famílias pobres, conseguiu reduzir os preços dos combustíveis e está domando a inflação.

O presidente diz que muitos reclamam de estar havendo uma mistura de política com religião, mas, segundo ele, é preciso falar de religião hoje para se garantir o direito de continuar falando de Deus, de Jesus, nos próximos anos. “Alguns dizem que não deveríamos falar de eleições em templos religiosos, mas falamos de eleições hoje para que amanhã possamos falar de Jesus nas nossas igrejas”, afirmou

O presidente lembrou ainda que o PT, depois de muitos fracassos, agora promete coisas mirabolantes. “O outro lado prometeu água para o Nordeste e não trouxe. Agora promete picanha e cerveja. Pelo amor de Deus!”, criticou.

Ao se despedir do público, o candidato à reeleição disse que “a decisão está com vocês”, referindo-se ao dia da votação em segundo turno, o próximo dia 30, data em que o Brasil vai decidir se deseja seguir os exemplos da Venezuela, da Argentina, da Nicarágua e outros países de esquerda ou se manter como uma nação livre.

Apesar do horário – ele desembarcou por volta das 18h – o evento de São Luís foi um dos maiores em participação de público. Desde às 17h, o tráfego de veículos era complicado nas principais avenidas próximas ao Aeroporto Hugo Machado, e na BR 135. Milhares de veículos – automóveis, motos e comerciais leves – o acompanharam até o local do evento.

Piauí – Pela manhã, Bolsonaro esteve em Teresina (PI), onde disse que de seus 22 ministros, “seis são cabra da peste do Nordeste”, além de dizer que seu governo “trouxe água para o Nordeste” enquanto “ele (Lula) não trouxe água para seus irmãos do Nordeste”. Ainda visando contornar a repercussão negativa da fala associando o sucesso de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas urnas da região ao analfabetismo, Bolsonaro garantiu que sua filha “tem sangue nordestino correndo nas veias”.

Em outro trecho do discurso, o presidente negou a possibilidade de uma elevação do preço dos combustíveis após o segundo turno da eleição, no fim deste mês. “Dizer que vai aumentar no pós eleição é mais uma mentira do PT”, disse. “No mundo todo, os combustíveis dispararam. Zeramos os impostos federais da gasolina e hoje nós temos uma das gasolinas mais baratas do mundo, e esse preço vai continuar, porque está definido em lei federal”, disse.

Os preços da gasolina e do diesel nos postos de combustível têm caído desde o fim de junho, justamente o início da campanha eleitoral, puxados pelo corte de tributos e, depois, por reduções nos preços da companhia. Foram quatro descontos seguidos para a gasolina e três para o diesel.