Jogos do Sampaio pela Série B em 2022 sob suspeita de manipulação de resultado

170

O Sampaio Corrêa, representante do Maranhão na serie B do Campeonato Brasileiro em 2022, é um dos apontados entre os que tiveram resultado de jogos manipulados por site de apostas, segundo material apreendido na Operação Penalidade Máxima, deflagrada nesta terça-feira (14) pelo Ministério Público de Goiás. O clube não se pronunciou oficial, mas em reposta a questionamentos de veículos de imprensa, pediu para aguardar o resultados das investigações.

A operação foi realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), da Coordenadoria de Segurança Institucional e Inteligência (CSI) e do Grupo de Atuação Especial em Grandes Eventos do Futebol (GFUT), visando à obtenção de provas de associação criminosa especializada na manipulação de resultados de partidas de futebol profissional, especificamente em relação a jogos da Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol do ano passado.

Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária, em Goiânia (GO), São João Del-Rei (MG), Cuiabá (MT), São Paulo (SP), São Bernardo do Campo (SP) e Porciúncula (RJ).

A investigação teve início em novembro de 2022, após denúncia feita ao MP pelo Vila Nova Futebol Clube, com elementos indicando a manipulação de três partidas da Série B do Campeonato Brasileiro para atender a interesses de apostadores. Nestes jogos, o grupo teria atuado mediante a cooptação de atletas para realização de uma ação específica nas partidas, no caso, o cometimento de pênalti no primeiro tempo dos jogos.

As três partidas envolvidas no esquema foram Vila Nova x Sport, Criciúma x Tombense e Sampaio Correa x Londrina. No caso da partida do Vila Nova, apesar da tentativa de manipulação e do pagamento antecipado ao jogador, o pênalti não foi cometido. Nas outras duas, o evento ocorreu.

Em razão do não cumprimento do “combinado”, o jogador do time goiano passou a ser pressionado e cobrado intensamente para ressarcimento do prejuízo ocorrido. Embora ainda não haja um cálculo preciso, a estimativa é que, nesta rodada de jogos, o “lucro” esperado pelo grupo criminoso fosse de R$ 2 milhões.

Condutas criminosas –  O esquema elaborado pelos apostadores tem como objetivo aumentar ao máximo a capacidade de ganhar e ter lucro com as apostas, por meio da manipulação. Diante do que tem sido apurado em relação a essas fraudes, há um trabalho preventivo, de compliance, buscando frear esse tipo de conduta criminosa.

“É importante destacar que o que foi apurado não desacredita as instituições esportivas nem o esporte. É preciso ressalvar isso”, sublinhou Rodney da Silva. Ele salientou que a investigação vai procurar identificar um perfil de aposta para auxiliar nesse trabalho.

(Com informações do MPGO)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui