Kátia Bogéa é exonerada por Jair Bolsonaro da presidência do Iphan

1
1474

Uma das demissões no governo federal mais dadas como certas se confirmou nesta quarta-feira (11): Kátia Bogéa foi exonerada da presidência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e será sucedida por Luciana Rocha Feres. Os atos de exoneração e nomeação estão publicados na edição desta quarta-feira (11) do Diário Oficial da União.

Kátia Bogéa ocupava o posto desde 2016, quando, após ser exonerada por Dilma Rousseff, da Superintendência do órgão no Maranhão, foi convidada pelo ex-presidente Michel Temer para o cargo. Ela teria sido indicada pelo ex-presidente José Sarney.

Na terça-feira (10), o secretário especial de Cultura, Roberto Alvim, havia dito que o governo de Jair Bolsonaro não irá “aparelhar” a produção artística do Brasil e afirmou que ainda avaliava sobre a troca da presidência do Iphan.

“Estamos estudando o caso do Iphan. Meio bilhão de reais que o órgão lida por ano. É um caso muito complexo. A gente está estudando delicadamente e com muito esmero o caso”, disse.

Em outro ato, também publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, o governo está exonerando o secretário de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual da Secretaria Especial de Cultura, Maurício Carlos da Silva Braga, e nomeando Marcos de Almeida Villaça Azevedo.

(Com informações da Istoé)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.