Live aberta ao público celebra 48 anos da Embrapa com emoção e homenagens

0
65

Parceiros, produtores e autoridades destacaram a importância da estatal para a inovação do agro brasileiro

Pela segunda vez consecutiva, em função da pandemia que impôs restrições a eventos presenciais, a solenidade de aniversário da Embrapa foi realizada de forma remota e virtual. Neste ano, porém, os 48 anos da Empresa foram celebrados por meio de uma live descontraída, com um tom mais informal, realizada no dia 28, às 10 horas, e acompanhada por meio do YouTube por mais de 1.700 pessoas.

No palco, somente os apresentadores Fernanda Diniz e Sérgio Abud, empregados do quadro da Embrapa; o presidente Celso Moretti; o presidente do Conselho de Administração da Empresa (Consad), Fernando Camargo; e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. No lugar dos tradicionais discursos de autoridades e homenageados, depoimentos gravados em vídeo. A edição ágil permitiu mais leveza, focando e destacando melhor as mais recentes contribuições da Embrapa para melhorar a vida de quem trabalha no campo brasileiro, as metas do VII Plano Diretor e o Balanço Social 2020, que, mais uma vez, comprovou o retorno dado pela ciência ao investimento público e à sociedade.

Celso Moretti abriu a solenidade agradecendo e reconhecendo a parceria de pesquisadores da Empresa, diretores, gestores, colaboradores, instituições parcerias, produtores rurais, parlamentares, extensionistas e estudantes. Relembrou a trajetória da agropecuária nacional e o cenário da 70, quando a Embrapa foi criada e o Brasil ainda era submetido a condições de insegurança alimentar e importação de produtos básicos da mesa do brasileiro. “Foi quando aconteceu o início da grande transformação do campo, responsável pela revolução que hoje se consolidou e elevou o País à condição de exportador e protagonista dos cenários futuros da segurança alimentar mundial”, disse.

“Os solos ácidos e pobres do Cerrado foram transformados em terras férteis, teve início a tropicalização de culturas e animais, e o desenvolvimento de uma plataforma de produção sustentável – esses foram os três principais pilares responsáveis por toda essa transformação”, comentou, lembrando que, graças a tecnologia da ciência agropecuária, mais de 800 milhões de pessoas são alimentadas em todo o globo, em mais de 170 países.

Farol que aponta caminhos – Sobre o VII Plano Diretor da Embrapa, que chamou de “farol que aponta os caminhos futuros da empresa”, lembrou a tradição institucional de fazer planejamento estratégico desde a década de 90.

O Sebrae foi uma das instituições homenageadas

“Em novembro do ano passado, pela primeira vez, ousamos nesse planejamento, definindo nossas metas em objetivos quantificáveis, com números e dados que vão se concretizar em resultados”, afirmou, destacando entre os exemplos o aumento de 10 milhões de hectares as áreas com o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) no território nacional, até 2025, em parceria com o setor produtivo, em uma ação coordenada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O presidente também falou sobre os resultados do Balanço Social 2020, uma tradicional forma da Embrapa apresentar à sociedade o resultado do trabalho desenvolvido pela ciência. “Há 24 anos, desenvolvemos estudos a partir de sólida metodologia científica para constatar esse retorno, social e econômico”, disse. “Esse lucro social obtido por meio de uma amostra de 152 tecnologias e pela adoção de 220 cultivares de plantas é de 61 bilhões de reais, que divididos pelo custo anual da Embrapa, demonstra que para cada 1 real que a sociedade investiu, no ano passado, foram devolvidos 17,7 reais”, destacou.

Moretti chamou a atenção para o ano difícil de pandemia, ressaltando que as tecnologias da Embrapa ajudaram a criar 41 mil empregos no agro brasileiro. Sobre os lançamentos de tecnologias, o presidente referiu-se à Embrapa como uma “casa de soluções” a partir da pesquisa e do desenvolvimento. Foram apresentadas seis novas soluções tecnológicas da Embrapa para o agro brasileiro.

Seis personalidades do agro foram homenageadas durante a solenidade do 48º aniversário da Embrapa e, além de demonstrarem o reconhecimento ao trabalho já realizado nesses anos todos, destacaram a importância da ciência para o setor, a necessidade de modernização e o olhar no futuro, principalmente para que a agropecuária brasileira se torne cada vez mais sustentável. São elas:

  • A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, homenageada na categoria Governo Federal
  • Produtor Paulo Roberto Bonato, que tem propriedades em Cristalina (GO) e Brasília (DF)
  • O diretor-presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles
  • O pesquisador José Carlos Polidoro, da Embrapa Solos (Rio de Janeiro-RJ)
  • O deputado federal Alceu Moreira, do Rio Grande do Sul
  • Fernando Camargo, presidente do Consad (Conselho de Administração da Embrapa), também deixou sua mensagem.
Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui