Lojas com variedades e preços acessíveis atraem os consumidores neste Dia das Crianças

111

Comemoração da data é motivo para comprar

Neste Dia das Crianças, a Pesquisa de Intenção de Consumo para a data mostrou que as preferências de locais de compras do consumidor ludovicense devem se dividir com maior força entre o Centro Comercial de São Luís e os Shopping Centers. A Rua Grande, que já é conhecida por agradar uma boa parte do público, este ano segue na liderança da lista de lugares para adquirir os artigos de desejo da criançada.

No levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Maranhão (Fecomércio-MA), a Rua Grande abarcou a fatia de 38,3% dos entrevistados que desejam presentear em função da data, sendo uma preferência estimulada, principalmente, pelas classes mais populares que buscam variedade de produtos, preços acessíveis e maiores descontos na compra à vista.

Este resultado posiciona a Rua Grande em primeiro lugar, reacomodando esta preferência em patamares próximos a níveis anteriores, com exceção do ano de 2018, quando o Centro Comercial de São Luís foi a escolha de 69,2% dos consumidores, padrão considerado atípico naquele ano, incentivado pela entrega das obras de requalificação daquela região.

“A Rua Grande mantém-se, tradicionalmente, entre as principais escolhas dos consumidores pela maior concentração de lojas com variedade de produtos e preços mais baratos. O público com o orçamento apertado, em especial aquele com renda familiar de até 3 salários-mínimos, encontra neste local uma forma para conseguir presentear mais crianças sem um maior comprometimento da renda, sobretudo pela sinalização destes consumidores em pagar à vista”, avalia o presidente da Fecomércio-MA, Maurício Feijó.

Shopping Centers – Os Shopping Centers aparecem como a 2ª principal escolha abarcando a fatia de 29,9% do público entrevistado. Esta preferência cresceu +25,6% no comparativo com 2018. Um dos motivos para esta alta é em razão de 100% dos consumidores com maior poder aquisitivo – aqueles com familiar mensal maior que 6 salários-mínimos – terem afirmado comprar presentes do Dia das Crianças nestes locais em 2022.

“Por concentrar uma grande variedade de lojas e segmentos, segurança, estacionamento e integrar supermercados e outros serviços como de alimentação e entretenimento infantil, os shoppings tornaram-se a escolha para quem busca mais praticidade, sobretudo pela facilidade de acesso e proximidade dos locais de trabalho daqueles consumidores que realizam suas atividades diárias distante do Centro de São Luís”, acrescenta Feijó.

Por terem se tornado espaços cada vez mais diversificados e que congregam de eletrônicos a bazar de brinquedos, os supermercados também se posicionaram melhor este ano com 11% das preferências, após crescer +12,2%. Por outro lado, as lojas de bairro e galerias recuaram de 35,1% em 2018 para 18,7% entre as opções de 2022, fruto da maior concentração de pessoas que vão se dividir entre comprar na Rua Grande ou nos shoppings.

Internet – Na pesquisa deste ano, as compras pela Internet destacaram-se por terem crescido 8 vezes mais, saltando de 0,9 em 2018 para 6,8% em 2022. O conjunto de facilidades que esta modalidade oferece, desde preços competitivos à entrega em domicílio, evidencia o fortalecimento do e-commerce que vem modificando e impulsionando a dinâmica das vendas no varejo da capital.

A diversificação dos canais de vendas acelerado pela pandemia, permitiu aos lojistas locais alcançarem de forma mais eficiente o seu público-alvo e outros segmentos de mercado, principalmente via aplicativos de mensagens e redes sociais. Este novo padrão de consumo virtual que em 2022 aparece como a preferência de 6,8% dos ludovicenses, vem agradando mais fortemente aqueles consumidores com maior familiaridade e acesso às ferramentas tecnológicas, ou seja, em especial os mais jovens (21 a 35 anos) e de renda familiar maior que seis salários mínimos.

A maior fatia dos entrevistados (44,9%) ainda é atraída pelas promoções e descontos, uma preferência mais fortemente identificada nos consumidores com menor poder aquisitivo (renda familiar de até 3 salários-mínimos) e que devem direcionar as compras, em sua maioria, para a Rua Grande.

O preço dos produtos, por sua vez, foi apontado por 23% dos consumidores como o principal motivo para entrarem nas lojas, comportamento mais retratado por aqueles consumidores de classe média e mais jovem (idade entre 20 e 35 anos).

Neste ano, a qualidade dos produtos foi apontada por 19,8% do público como a principal motivação para comprar neste Dia das Crianças. De 2018 para cá esta preferência cresceu +120%, principalmente porque 100% da fatia de consumidores com maior nível de renda (acima de 6 salários-mínimos) apontou a qualidade dos produtos como principal fator entrar em uma loja.

Comemoração da data – As preferências em locais de comemoração do dia 12 de outubro não destoaram das apresentadas na pesquisa de 2018. Neste ano, 81,9% dos entrevistados apontaram que a diversão dos pequenos será em casa ou na casa de parentes. O lazer em praias e clubes aparece novamente na segunda posição, com 10,5% das preferências.

Um destaque mostrado pela pesquisa este ano é a comemoração no ‘combo’ shopping/cinema que cresceu em relação a 2018. O pacote de entretenimento ofertado pelos shoppings, agregado como um dos principais locais para comprar o presente do Dia das Crianças, fez com que esta opção aparecesse com mais evidência, pela disponibilidade de playgrounds, lanchonetes, filmes e muito mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui