Lula descarta ministério para Gleisi Hoffmann, que vai seguir na presidência do PT

15

Presidente eleito diz que ministério é o que ele anunciar

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (02), em Brasília (DF), na sede do Gabinete de Transição, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva confirmou que a deputada Gelisi Hoffmann, do Paraná, vai continuar na presidência do PT, ou seja, não será ministra. “O PT é um partido muito grande, muito importante, majoritário na montagem da governança dentro do Congresso Nacional”, destacou.

Lula também disse ainda que vai fazer “o país voltar a sorrir, a trabalhar e viver com cidadãos livres, sem medo de milicianos, sem medo de ataques como a gente tem visto”. “Nós vamos consertar esse país. Em vim para esta Presidência com essa missão, e nós vamos cumprir essa missão”, afirmou.

“Com muito jeito, vamos mudar o país, aprovar a PEC, começar a governar do jeito que estamos acostumados”, declarou Lula. “Vou receber as informações, tabular as informações, e a partir delas, começar a fazer o tipo de governo que nós saberemos fazer”.

Lula destacou que fará “o melhor governo que já fizemos e, se Deus quiser, o melhor que o país já teve. Podem colocar muitas dificuldades, que nós ultrapassaremos todas elas”, afirmou.

 

PEC do Bolsa Família – Na entrevista, Lula defendeu a necessidade da aprovação da PEC do Bolsa Família. “Queremos a PEC porque precisamos investir em algumas coisas, precisamos retomar o Minha Casa, Minha Vida, precisamos colocar algum dinheiro no SUS. Temos coisas importantes, imprescindíveis para o povo brasileiro”, disse.

“Quem deveria ter colocado a quantidade de recursos no Orçamento era o atual governo”, advertiu Lula. “O que ele está fazendo é tirando mais dinheiro, mais dinheiro da Saúde, mais dinheiro da Educação. Ou seja, me parece que eles querem deixar esse país a zero para a gente recomeçar a governar” afirmou Lula.

Ele também reafirmou o compromisso de conceder aumento real ao salário mínimo. “Todo ano haverá aumento real do salário mínimo para os trabalhadores e para os aposentados. O crescimento do PIB será repartido entre a sociedade brasileira. A hora que o PIB crescer o povo receberá parte desse crescimento”.

 

Vale quando falar – Sobre a indicação de ministros, Lula disse já ter 80% dos nomes “na cabeça”, mas lembrou que tem até o dia 1º de janeiro, o dia da posse, para divulgá-los. “O que vai valer é quando eu falar, quando eu falar é definitivo”.

“Não escolhi ministro, estou em conversação com todas as forças políticas”, informou. Lula lembrou que se “governa com quem ganhou, com deputados e senadores eleitos. Tem que conversar com todos para construir as mudanças que precisamos no país”.

Lula também falou sobre as “bombas armadas” pelo atual governo, a exemplo do ocorrido com o “inchaço” eleitoral dos inscritos no Auxílio Brasil. “Nós não vamos deixar a bomba explodir. Vamos ter cadastro”, afirmando que aqueles que precisam de ajuda terão seus direitos assegurados.

(Com informações da Agência PT)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui