Lula diz que pré-candidatura não cria rusga “entre mim” e PCdoB

0
570

Segundo Lula, “qualquer partido de esquerda que quiser lançar candidato, que lance. Agora, se tiverem coragem a gente vai pra rua junto”, reforçando que a candidatura de Manuela, como a de qualquer outro candidato é legítima. “Além disso, se não fosse a minha teimosia e a do PT, a gente nunca teria chegado à Presidência da República”, destacou.

O ex-presidente garantiu ainda que o fato do PCdoB ter lançado uma pré-candidata não vai gerar rusgas “entre mim e você (Manuela) ou o PCdoB”. A única coisa que os comunistas poderão estranhar é “começar a ir nos comícios da Manuela”, brincou.

Para ele, é preciso “pensar cada vez mais qual é a proposta que vamos fazer para a sociedade brasileira”. “Uma campanha no atual momento tem que ter novos sonhos e vai ter mais credibilidade quem tem legado para defender. E o PT e o PCdoB tem legado para defender”, frisou o ex-presidente.

Para a pré-candidata do PCdoB, a participação de Lula no ato foi a reafirmação da tese de “temos muito em comum e construímos um passado comum de um Brasil mais desenvolvido do que o que nós vivemos agora”, afirmou.

A presidente do PT e senadora Gleisi Hoffmann, que também compareceu ao ato. Segundo ela, “o PCdoB tem clareza do papel que representa nesse contexto da luta democrática. O que a gente sente é que a militância está muito aguerrida, com muita vontade de fazer o enfrentamento e isso é muito bom. E o lançamento da candidatura da Manuela também contribui para que a gente aprofunde o debate no nosso campo de esquerda. Tenho certeza que caminharemos juntos, independentemente das candidaturas, num projeto de defesa do nosso país e da nossa soberania. Literalmente juntos”, frisou.

Lula fez questão de manifestar a gratidão pelo partido. “Desde a primeira campanha, em 89, a aliança que nós montamos com o PCdoB a partir da representatividade do companheiro João Amazonas, sempre nos honrou. Tanto honrou que a nossa aliança perdura há 30 anos”, disse.

Para Lula, o governo Temer promove o desmonte do estado e classificando como “usurpadores”. “Não tem compromisso com o povo. O compromisso deles é com o mercado”, salientou.

Numa crítica ao presidente Michel Temer, Lula frisou que o governo do golpe é “fraco”. “A fraqueza dele faz com que se submeta aos interesses do mercado e atenda a tudo que eles pedem”. disse.

(Com dados do Vermelho)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação