Violência no Ceará: mais de vinte detentos fogem de cadeia pública

0
456
Complexo Penitenciário de Itaitinga

A Secretaria de Administração Penitenciária do Ceará confirmou, na tarde desta segunda-feira (07), a fuga de 23 detentos da Cadeia Pública de Pacoti, cidade a 122 quilômetros da capital, Fortaleza. A fuga foi de manhã, durante o banho de sol, quando os presos pularam o muro da cadeia e tiveram acesso à área externa. Os procedimentos de busca já foram iniciados na região, informou o governo.

A fuga ocorre justamente em meio a uma onda de violência no Ceará, que já resultou em mais de 120 ataques a prédios públicos, estabelecimentos comerciais e veículos. Esta segunda-feira é o quinto dia consecutivo de ocorrências notificadas.

Por causa da violência, a frota de ônibus do transporte público na capital e na região metropolitana opera abaixo do efetivo normal.

No balanço mais recente, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social confirmou a prisão de 148 pessoas suspeitas de envolvimento nos ataques.

O governo do estado está transferindo, de forma imediata, 20 detentos considerados líderes de facções criminosas no estado, para penitenciárias federais de segurança máxima.

As vagas, num total de 60, foram disponibilizadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, após pedido do governador Camilo Santana.

O sistema de transporte público de Fortaleza e da região metropolitana opera abaixo do normal nesta segunda-feira (7), segundo informou o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus).
Sistema de transporte público de Fortaleza e da região metropolitana opera abaixo do normal – José Cruz/Agência Brasil

Presos – A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará atualizou para 148 o número de pessoas capturadas por suspeita de envolvimento em ações criminosas nos últimos dias no Ceará. Desse número, 38 foram presos e apreendidos entre a noite de domingo (06) e a manhã desta segunda (07).

“Os trabalhos das Polícias Civil e Militar seguem em andamento visando a capturar outros envolvidos nos delitos registrados nos últimos dias”, informou a Secretaria, em nota.

As investigações estão concentradas na Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

A Secretaria de Segurança também informou que houve redução das ocorrências, após trabalho conjunto das forças de segurança, incluindo dos agentes federais da Força Nacional de Segurança (FNS). O alvo dos ataques são prédios públicos e privados.

(Agência Brasil)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação