Maranhão é o estado com menor PIB per capita do Brasil, segundo o IBGE

0
1229

 

O Maranhão é o estado com menor PIB per capita do Brasil, ou seja, na divisão do Produto Interno Bruto, que é a soma de todas as riquezas do estado por cada habitante, os maranhenses ficam menor valor, R$ 12.264,28, segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com base em números de 2016. Na outra ponta está o Distrito Federal, onde para cada morador caberiam R$ 79.099,77.

De acordo com o estado, o DF mantém essa posição desde o começo da série, em 2002, e o seu PIB per capita é 2,6 vezes o do Brasil. São Paulo aumentou participação no PIB pelo segundo ano consecutivo, 0,2 p.p. em relação a 2015 e 0,3 p.p. em relação a 2014, algo inédito na série. Ainda assim é o estado com a maior perda acumulada neste aspecto entre 2002 e 2016: 2,4 p.p., em 2002 participava com 34,9% e passa para os 32,5% em 2016.

Segundo o levantamento, o Brasil teve queda no volume do PIB para 3,3% em 2016, contra 3,5% em 2015. Entre 2014 e 2016, o país acumulou redução de 6,7% no PIB. Essas são algumas informações do Sistema de Contas Regionais 2016, elaboradas em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus  (Suframa).

Na sequência por unidade da federação, seguem o Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso, que assumiu a quarta posição de Santa Catarina, agora quinto. Na sequência estão Rio Grande do Sul e Paraná e Mato Grosso do Sul, este  sendo o estado que mais avançou na classificação, passando de 11º em 2002 para 4º em 2016.

Maranhão (27º) e Piauí (26º) continuam com os menores PIB per capitas. Ao longo da série, os dois estados alternaram posições, mas nunca subiram na classificação. O PIB per capita de ambos, no entanto, passou de 30% do nacional para 40% em 2016.

O Piauí foi o estado em que o valor do PIB per capita mais cresceu dentre todos as unidades da federação, cerca de 5,3 vezes entre 2002 e 2016 (de R$ 2.440,70 para R$ 12.890,25).

O Mato Grosso também se destacou neste quesito, crescendo cerca de 5,2 vezes. Outros estados que se destacaram no crescimento do PIB per capita ao longo da série foram Tocantins (4,7 vezes) e Maranhão e Mato Grosso do Sul (4,5 vezes).

PIB per capita das unidades da Federação e o PIB per capita do Brasil – 2002 e 2016
Estados 2002 2016 Variação Posição nominal
Valor(R$) Razão entre estado e o Brasil Posição Valor Razão estado e Brasil Posição relativa
Distrito Federal 24.721,18 2,9 79.099,77 2,6               3,2 22º
São Paulo 13.443,91 1,6 45.542,32 1,5               3,4 20º
Rio de Janeiro 12.414,77 1,5 38.481,96 1,3               3,1 25º
Mato Grosso 7.265,37 0,9 11º 37.462,74 1,2               5,2
Santa Catarina 9.745,87 1,2 37.140,47 1,2               3,8 15º
Rio Grande do Sul 9.423,79 1,1 36.206,54 1,2               3,8 14º
Paraná 8.927,46 1,1 35.726,38 1,2               4,0 11º
Mato Grosso do Sul 7.599,05 0,9  34.247,79 1,1               4,5
BRASIL 8.440,27 1,0   30.411,30 1,0                 3,6  
Espírito Santo 8.348,80 1,0 27.487,45 0,9               3,3 21º
Goiás 7.307,95 0,9 10º 27.135,06 0,9 10º               3,7 17º
Minas Gerais 6.703,46 0,8 13º 25.937,96 0,9 11º               3,9 12º
Amazonas 7.353,15 0,9 22.245,02 0,7 12º               3,0 27º
Rondônia 5.147,41 0,6 16º 22.072,99 0,7 13º               4,3
Roraima 6.736,70 0,8 12º 21.413,52 0,7 14º               3,2 23º
Tocantins 4.344,12 0,5 21º 20.598,73 0,7 15º               4,7
Amapá 5.977,03 0,7 14º 18.329,19 0,6 16º               3,1 26º
Pernambuco 4.426,56 0,5 19º 17.777,25 0,6 17º               4,0 10º
Rio Grande do Norte 4.709,83 0,6 18º  17.168,60 0,6 18º               3,6 18º
Sergipe 5.529,80 0,7 15º 17.153,91 0,6 19º               3,1 24º
Bahia 4.388,28 0,5 20º 16.931,10 0,6 20º               3,9 13º
Acre 4.876,17 0,6 17º 16.837,69 0,6 21º               3,5 19º
Pará 4.043,64 0,5 22º 16.689,55 0,5 22º               4,1
Ceará 3.712,24 0,4 24º 15.437,75 0,5 23º               4,2
Paraíba 3.627,98 0,4 25º 14.774,41 0,5 24º               4,1
Alagoas 3.962,88 0,5 23º 14.723,70 0,5 25º               3,7 16º
Piauí 2.440,70 0,3 27º 12.890,25 0,4 26º               5,3
Maranhão 2.718,05 0,3 26º 12.264,28 0,4 27º            4,5
Fonte: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus  SUFRAMA

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação