Maranhão é o estado que menos investe em educação por aluno no Brasil, revela Anuário

0
6619

AQUILES EMIR

Apesar do badalado programa Escola Digna, que teria construído e/ou recuperado cerca de 800 estabelecimentos de ensino e elevado os níveis educacionais, o Maranhão é o estado que menos investe em educação por aluno do país, segundo números do Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019 divulgado nesta terça-feira (25) pelo movimento Todos pela Educação. Ainda de acordo com o anuário, o estado tem os menores índices de educação satisfatória em Língua Portuguesa e Matemática.

Sobre o nível da educação maranhense, diz o anuário: “O estado registra números bastante preocupantes – pouco mais da metade dos professores com Ensino Superior completo, por exemplo – e desafios consideráveis no que diz respeito aos principais indicadores de aprendizagem”.

O anuário mostra também as disparidades em relação à distribuição de recursos. “Enquanto São Paulo recebe a maior média anual de recursos vinculados à educação por aluno, R$ 6,5 mil, o Maranhão está no outro extremo com R$ 3,5 mil por aluno ao ano”.

Segundo o coordenador de projetos do Todos pela Educação, Caio Callegari, “boa parte das desigualdade educacionais está relacionada a desigualdade de financiamento tanto em relação a garantia de recursos mínimos quanto a gestão de recursos. Estamos dando menos recurso para quem tem que corrigir um passivo histórico de investimento em educação”.

De acordo com o estudo, 33,8% dos estudantes maranhenses do 5º ano de ensino fundamental têm aprendizado adequado em Português e 19% em Matemática. Quando chegam ao 9º ano do ensino fundamental, esses índices caem, pois os com aprendizado adequado em Língua Portuguesa passam a ser 21,1% e em Matemática 8%. A situação se agrava mais ainda quando este aluno chega em 3º ano de ensino médio, pronto para ingressar no ensino superior. Apenas 15,1% sabem Português e 1,5% aprendizado adequado de Matemática.

Outro dado relevante é de 83,3% da população com até 15 anos eram alfabetizados em 2017, índice recuperado após em 2016, depois de uma queda de 82,1% em 2014 para 81,4% em 2015.

Quanto à distribuição de professores, o atlas revela que Maranhão dos 102.176 estabelecimentos de ensino fundamental, 83.363, ou seja, 81,6%, têm apenas um docente. Em 16.006, o que corresponde a 15,7%, somente dois, e em 2.807, o que dá 2,7%, três ou mais.

 

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação