Maranhão avança, mas fica abaixo da meta tanto no ensino fundamental quanto médio

0
876

AQUILES EMIR

O Índice do Ensino Médio no Maranhão aumentou de 3,3 em 2015 para 3,5 em 2017, mas ficou abaixo da meta prevista, que era de 4,1, e no que se refere ao ensino fundamental, nos anos iniciais, avançou de 4,6 para 4,8, enquanto nos anos finais, de 3,8 para 3,9, ficando também abaixo da meta, que era de 4,5. Os números são do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) divulgado nesta segunda-feira pelo Ministério da Educação (MEC).

De acordo com o MEC, nenhum estado atingiu a meta do ensino média para 2017 e em cinco deles houve redução: Amazonas, Amapá, Roraima, Bahia e Rio de Janeiro. “Temos um quadro de crescimento nos anos iniciais, avanços do sexto ao nono ano, mas ainda insuficientes, e uma estagnação do ensino médio, que cada vez mais se distancia da meta”, disse o ministro da Educação, Rossieli Soares, destacando que é necessário avançar na reforma do ensino para que o Brasil passe a obter números mais satisfatórios.

No que se refere ao ensino médio nas escolas da rede estadual, o Maranhão saiu de 3,1 para 3,4, mas abaixo da meta de 3,7. Segundo o MEC, a rede estadual registrou desempenho inferior a 3,0 em três estados: Pará, Rio Grande do Norte e Bahia. No outro extremo, aparecem Goiás, Espírito Santo e Pernambuco com Ideb igual ou superior a 4,0.

Quanto à rede privada, o índice no estado aumentou de 4,7 para 5,2, porém bem abaixo da meta de 4,9. Segundo o Ministério da Educação,  a rede privada não alcançou no Brasil nenhuma meta proposta para  2017, sendo registrada uma queda de desempenho em Roraima. Os maiores resultados foram para os estados de Minas Gerais (6,3), Espírito Santo (6,1), Santa Catarina (6,0) e Distrito Federal (6,0).

Ensino fundamental – Sobre o ensino fundamental, o aumento na rede pública nos anos iniciais, segundo os números do Ministério da Educação, foi de apenas 0,1, saindo de 4,4 para 4,5, superando a meta, que era de 4,4, sendo que nas escolas da rede estadual houve uma queda de 4,3 para 4,1 e a meta era de 4,9.  Na rede privada também houve aumento de 6,1 para 6,5, acima da meta que era de 6,4.

Sobre o desempenho dos alunos da rede pública nos anos finais do ensino médio, não houve nenhum avanço entre 2015 e 2017, pois o estado ficou com o mesmo índice de 3,7, enquanto a meta ra de 4,3, sendo que nas escolas estaduais houve um aumento de 3,8 para 4,2, porém abaixo da meta de 4,7. Nas escolas privadas, nessa mesma faixa, houve aumento de 5,5 para 5,7, contudo muito abaixo da meta, que era de 6,5.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação