Quem vai socorrer o Maranhão? Mortes por coronavírus aumentam 169,1% no mês de maio

1
1089

AQUILES EMIR

No dia 30 de abril passado, o Maranhão atingiu a marca de 3.506 casos confirmados para coronavírus e 204 óbitos de infectados pela doença. Diante desses números, o Governo do Estado decidiu tomar medidas mais rígidas para controle do covid-19, que iriam resultar até na decretação de um lockdow nos quatro municípios da Ilha, passando por requisição de leitos de hospitais privados etc, mas o que se assistiu em 16 dias foi assustador: um aumento superior a 160% em mortes.

O governador Flávio Dino (PCdoB), em entrevista coletiva dia 27 de abril, chamava atenção para maio, pois seria o mês em que se atingiria o auge da pandemia. Resta saber, no entanto, se este auge já foi atingido na primeira quinzena ou se haverá uma escalada ainda maior nos próximos 14 dias que restam para encerrar o mês para que os maranhenses cheguem mais assustados a junho do que começaram maio.

Do primeiro caso de morte pelo covid-19 no estado, dia 29 de março, a 30 de abril, foram 204 ocorrências, mas nos 16 dias que se seguiram este número mais que dobrou, aumentando em 345 novos casos, chegando neste sábado a 549 óbitos, segundo boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES). Pelo ritmo como as mortes vêm se sando, em dois dias o Maranhão chega a 600 corpos sepultados por contrair a doença.

Número sobre a evolução do coronavírus no Maranhão em maio:

OCORRÊNCIAS ATÉ 30 DE ABRIL ATÉ 16 DE  MAIO DIFERENÇA VARIAÇÃO
CASOS CONFIRMADOS 3.506 12.492 8.986 259,3%
ÓBITOS 204 349 145 169,1%

Pela evolução registrada em maio, as mortes por coronavírus tiveram um aumento de 169,1%. Já com relação aos casos confirmados, houve um aumento de 259,3%, pois no dia 30 de abril 3.506 e agora são 12.492.

Imagem

Desempenho – Com este desempenho nada agradável, o Maranhão passa a ocupar a sétima posição nos rankings nacionais de casos confirmados e de mortes. O campeão de óbitos é São Paulo (4.688), seguido pelo Rio de Janeiro (2.614), Ceará (1.614), Pernambuco (1.461), Amazonas (1.375), Pará (1.199) e Maranhão (549).

Em número de casos confirmados, o ranking tem também São Paulo (61.183) na ponta de cima, vindo em seguida Ceará (23.795), Rio de Janeiro (21.601), Amazonas (19.677) e Pernambuco (18.488). Entre as unidades da Federação com mais pessoas infectadas estão ainda o Pará (13.184), Maranhão (11.592), a Bahia (8.314), o Espírito Santo (6.595) e Santa Catarina (4.678).

(Com imagem de Jader Júnior para capa de Maranhão Hoje do mês de abril)

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação

1 COMENTÁRIO

  1. Essas mortes todas é pq o governo prendeu o cloroquina..pra justificar superfaturamento
    …… agora vai diminuir

Comments are closed.