Maranhão perde em fevereiro três grandes jornalistas vítimas de AVC

257

GIRO MARANHÃO

Grandes perdas na imprensa marnhense

O mês de fevereiro trouxe grandes baixas para o setor de Comunicação no Maranhão com as mortes de três profissionais que eram referências em seus segmentos de atuação. Desperta curiosidade o fato de todos eles terem sido vítima de Acidente Vascular Cerebral (AVC), uma das doenças que mais têm matado no Brasil e que exige muito cuidado por se tratar de uma doença traiçoeira.

Dia 10, em Brasília, onde residia ultimamente, Gil Maranhão morreu, aos 64 anos, no Hospital de Base do Distrito Federal, para onde foi levado após sofrer o ataque no cérebro. Gil trabalho trabalhou em diversos veículos de imprensa na capital maranhense e era correspondente do Jornal Pequeno na capital federal.

No dia 17, o jornalista e radialista Haroldo Silva, de 85 anos, morreu depois de uma grande luta contra as consequências de um coágulo no cérebro, também decorrente de um derrame. Era um dos maiores nomes da crônica esportiva maranhense.

Nesta segunda-feira (20), foi Silvan Alves que faleceu, aos 60 anos. Ele também sofreu um AVC em 2021 e nunca mais se recuperou e teve a saúde agravada pela infecção de covid-19.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui