Maranhão registra saldo positivo na geração de empregos em junho

0
920

AQUILES EMIR

O Maranhão fechou o mês de junho com um saldo de 1.531 postos de trabalho preservados, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta segunda-feira (17) pelo Ministério do Trabalho e Previdência. De acordo com os números, apenas o setor comercial continua com desempenho negativo, enquanto a construção civil teve a melhor contribuição para a geração do saldo.

Este é o segundo mês de desempenho positivo no estado, já que no mês de maio, o saldo foi de 782 postos de trabalho preservados, resultado de 12.589 admissões e 11.807 demissões.

Segundo o levantamento, no mês passado foram admitidas 12.271 pessoas e as demissões somaram 10.740. Apesar do bom desempenho de junho, o ano ainda tem um saldo negativo de 4.233 postos de trabalho desativados, resultado de 70.348 admissões contra 74.581 demissões. Sobre o desempenho dos últimos 12 meses, o saldo negativo é de 9.252, já que neste período foram admitidos 146.491 trabalhadores e 155.743 foram dispensados.

O setor da construção civil, que foi o que teve saldo positivo mais expressivo, registrou no mês passado 2.298 contratações e 1.431 dispensas. O setor tem um saldo acumulado no semestre de 1.206 postos desativados, resultado de 10.950 contratações e 12.156 demissões. Nos 12 meses, a construção civil tem um acumulado negativo de 5.648 postos de trabalho desativados, já que as contratações somaram 23.977 e as demissões, 29.625.

Veja abaixo o desempenho por setor em junho:

  • Extrativa Mineral – 1
  • Indústria de Transformação – 118
  • Serviços Industriais de Utilidade Pública – SIUP – 22
  • Construção Civil – 867
  • Comércio – -258
  • Serviços – 9
  • Administração Pública – 3
  • Agropecuária – 765
  • Total – 1.531

Brasil – O Brasil fechou o mês de junho com novo saldo positivo na criação de empregos. Foram abertos 9.821 postos de trabalho, em todo o país – uma variação de +0,03% em relação ao estoque do mês anterior. Esta foi a terceira expansão consecutiva e a quarta registrada este ano em nível nacional.

O resultado de junho reflete a diferença entre 1.181.930 admissões e 1.172.109 desligamentos. No acumulado do ano, o crescimento chega a 67.358 vagas abertas, representando expansão de 0,18% em relação ao estoque de dezembro de 2016. Em igual período de 2016, o saldo foi negativo em -531.765.

No acumulado dos últimos 12 meses, o Caged ainda aponta uma redução de 749.060 postos de trabalho, mas na comparação entre o saldo positivo de junho de 2017 (+9.821 postos) com o mesmo mês do ano passado (-91.032 postos) e de 2015 (-11.199 postos), a recuperação do mercado de trabalho se mostra significativa. “São números que nos dão a certeza de que, depois de dois anos de saldos negativos, o Brasil está voltando aos trilhos do crescimento, com a abertura de novas vagas para os trabalhadores”, disse o ministro.

Regiões e Estados – O desempenho regional do emprego com carteira, em junho, mostra que o Sudeste liderou a criação de vagas, com 9.273 novos postos (+0,05%). O desempenho da região foi puxado por Minas Gerais, que teve saldo positivo de 15.445 postos, graças à expansão dos setores de Agropecuária (+17.161 postos) e Serviços (+901 postos).

Outro destaque entre as regiões foi o Centro-Oeste, que abriu 8.340 vagas (+0,26%). Nesse caso, o saldo positivo foi impulsionado pelo Mato Grosso, com 5.779 vagas abertas, principalmente nos setores de Agropecuária (+2.614), Comércio (+1.070), Serviços (+761), Construção Civil (+757) e Indústria de Transformação (+531). Goiás também teve forte expansão, com 4.795 novos postos, refletindo o desempenho de Indústria de Transformação (+2.117), Serviços (+1.486) e Construção Civil (+628).

Compartilhe
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação